Última hora

Última hora

Bailarino Carlos Acosta cria nova companhia de dança em Cuba

Em leitura:

Bailarino Carlos Acosta cria nova companhia de dança em Cuba

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de se reformar do Royal Ballet de Londres, em novembro passado, a estrela internacional de ballet Carlos Acosta regressa às raízes cubanas com

Depois de se reformar do Royal Ballet de Londres, em novembro passado, a estrela internacional de ballet Carlos Acosta regressa às raízes cubanas com a sua nova companhia ‘Acosta Danza”. O bailarino, de 42 anos de idade, está de volta a Havana com um projeto que visa misturar os estilos clássico e contemporâneo num projeto de dança único.

“Selecionei bailarinos com grande experiência contemporânea e clássica. Metade são bailarinos com técnica clássica e a outra metade de dança contemporânea, por isso não é uma simbiose. Acho que isto vai criar um novo estilo na ilha, mas também único no mundo,” revela Carlos Acosta.

A companhia foi fundada no verão passado e ainda não tem sede permanente.
Para os bailarinos de técnica clássica, associados ao Ballet Nacional de Cuba, a nova companhia é, ao mesmo tempo, uma grande oportunidade e um grande desafio.

“É um projeto de longo prazo. Em primeiro lugar, deve haver unidade, uma pesquisa para o movimento, deve integrar os bailarinos clássicos com os contemporâneos. Não dizemos que somos clássicos ou contemporâneos, mas sim que somos Acosta,” considera a bailarina E. Hernandez.

Acosta ganhou destaque no início de 1990 e em 1998 entrou para o Royal Ballet de Londres. Com a sua lendária graciosidade e capacidade atlética, ele foi comparado a Mikhail Baryshnikov ou Rudolf Nureyev. Em 2011 Acosta criou uma Fundação para dar aos jovens bailarinos as oportunidades de que beneficiou enquanto criança.

Após a visita do Presidente norte-americano, Barack Obama, a Cuba, Acosta considera que o ballet pode ajudar a criar pontes culturais.

“Vivemos tempos muito interessantes, são tempos que dão esperança às pessoas. Tem sido uma disputa de muitas décadas entre dois países que são vizinhos. São momentos para comemorar porque, tecnicamente, somos amigos. Tenho a certeza que vão surgir muitas colaborações artísticas. Para os artistas, em geral, é muito positivo.”

Acosta Danza vai ter a estreia com uma série de trabalhos contemporâneos, em Havana, a 8 de abril, no recentemente renovado, Grande Teatro Alicia Alonso.