Última hora

Última hora

O dia em que Barcelona parou

As reações à morte de Johann Cruyff multiplicaram-se um pouco por todo o planeta. No Barcelona, clube que escreveu a sua história de mãos dadas com o

Em leitura:

O dia em que Barcelona parou

Tamanho do texto Aa Aa

As reações à morte de Johann Cruyff multiplicaram-se um pouco por todo o planeta. No Barcelona, clube que escreveu a sua história de mãos dadas com o holandês, respeitou-se um minuto de silêncio no centro de treino.

O sistema de jogo idealizado por Cruyff permitiu o aparecimento de craques franzinos e cuja principal atributo futebolístico é o cérebro. Também eles fizeram ouvir a sua voz:

“É um dia muito triste para toda a gente, não só para a família do Barcelona mas também para o futebol mundial e para todos os que viram a influência que uma pessoa como ele teve no futebol. É triste.” Andrés Iniesta

“Foi a figura mais influente no futebol europeu nos últimos 40/50 anos. Nenhuma outra pessoa conseguiu mudar a mentalidade e a forma de jogar de duas grandes equipas como o Ajax e o Barcelona.” Pep Guardiola

Uma homenagem particularmente original está reservada para o amigável entre Holanda e França, esta sexta-feira em Amesterdão, com o minuto de silêncio a ser cumprido minuto 14 do encontro, número da camisola que Cruyff celebrizou.

Gràcies Johan

Thanks, JohanGràcies JohanGracias, Johan

Posted by FC Barcelona on Thursday, 24 March 2016