Última hora

Última hora

Tracey Emin "casa" com uma pedra e expõe "esse amor" em Hong Kong

Em leitura:

Tracey Emin "casa" com uma pedra e expõe "esse amor" em Hong Kong

Tamanho do texto Aa Aa

A exposição "I cried Because I Love you" pode ser visitada em duas galerias de Hong Kong até 21 de maio.

A multifacetada Tracey Emin tem patente ao público a primeira grande exposição em nome próprio na China. “I cried Because I Love you” (“Chorei porque te Amo”, em tradução direta) é mostrada através da colaboração de duas galerias de Hong Kong e integra alguns trabalhos da artista inglesa a partir de autorretratos e expressos em pintura, bordados e luzes de néon.

A inspiração partiu de uma grande pedra descoberta por Tracey Emin junto de uma oliveira à entrada do seu estúdio, no sul de França, com a qual, diz-se, terá casado. “Penso que a pedra é tão majestosa e linda. De facto, amo aquela pedra. Depois pus-me a pensar na forma como amo, em que termos derramo o amor sobre as coisas, as pessoas, sobre seja o que for. É de uma forma apaixonada, mas também sem esperar nada de volta. Apenas aceito que seja assim. Sou apenas eu a dar. A pedra tornou-se uma metáfora dos meus sentimentos”, explicou a artista na abertura da exposição.

As obras expostas em Hong Kong resultaram de momentos autorreflexivos da artista, de 52 anos. Solidão, desejo, a amargura da separação, da perda… Tracey Emin é, por vezes, descrita como uma moderna expressionista autobiográfica. “Para mim, isso é um elogio”, admite a inglesa, explicando a opção por se focar nela própria com a ideia de que “há pouca coisa que podemos fazer mais na pintura para além desta convicção e desta ligação pessoal com nós mesmos.”

“Acredito que todas as pessoas já amaram tanto alguém que a certo ponto doeu. Sentimos que se não virmos o nosso amor podemos implodir, podemos morrer. Este trabalho é mais sobre isso, esse sentimento de amor. É uma interpretação do amor. Não é sobre amor não correspondido. É sobre um amor impossível”, afirmou Tracey Emin.

Os ingleses Elton John e George Michael, duas das maiores estrelas da música pop e dois ícones da cultura “gay”, estão entre os mais famosos admiradores e colecionadores das obras da compatriota Tracey Emin. Há muitos outros. Também famosos. Também artistas. Como a norte-americana Madonna (em cima).

A exposição “I Cried Because I Love You” pode ser vista nas galerias Lehman Maupin e White Clube, em Hong Kong, até 21 de maio.