Última hora

Última hora

A cooperação internacional "funciona" contra as drogas legais na internet

De que meios dispõe a Europa para combater o fenómeno das drogas legais e o aumento do consumo de metanfetaminas? A jornalista Sophie Claudet

Em leitura:

A cooperação internacional "funciona" contra as drogas legais na internet

Tamanho do texto Aa Aa

De que meios dispõe a Europa para combater o fenómeno das drogas legais e o aumento do consumo de metanfetaminas? A jornalista Sophie Claudet entrevistou Andrew Cunningham, do Observatório Europeu da Droga e Toxicodependência em Lisboa.

Sophie Claudet, euronews: O Reino Unido pretende proibir as drogas legais ainda este mês de maio. Mas, na Irlanda, onde já são interditas, os consumidores continuam a comprá-las. Até que ponto a proibição destas substâncias é eficaz?

Andrew Cunningham: Na maior parte dos casos, como na Irlanda ou na Polónia, o grande objetivo dos países ao introduzir este tipo de legislação é acabar com as novas substâncias psicoativas. Neste contexto específico, estamos a falar de produtos que eram vendidos livremente. Portanto, a intenção é impedir a venda em lojas ou plataformas online e que as pessoas não tenham a possibilidade simplesmente de entrar numa loja e comprar sem mais, nem menos estas substâncias psicoativas.

euronews: Ou seja, a grande vantagem da interdição é o encerramento dos espaços de venda?

AC: Não forçosamente o encerramento, tem mais a ver com o facto de impedirmos que esses produtos cheguem às prateleiras. E isso pode ter um impacto profundo em termos de redução das consequências. Afirmou que o modelo irlandês não impede as pessoas de comprarem os produtos. Mas não existe nenhum estudo formal sobre os resultados da lei irlandesa que aponte nesse sentido.

euronews: A reportagem que fizemos na Alemanha fala do desmantelamento massivo de laboratórios por parte da polícia. Que meios é que as autoridades têm para impedir a venda de drogas legais na internet, onde elas podem ser facilmente compradas? Como travar isto? É uma batalha perdida?

AC: Depende do contexto legal do país e do quadro legislativo que rege a atividade policial. Se uma determinada substância ainda não for conhecida num dado país, por exemplo, é extremamente difícil dizer a outro país que este não pode vender esse produto pela internet ao primeiro país. Se a droga ainda não tiver sido controlada, digamos, as autoridades não podem fazer praticamente nada. A nível europeu, foi implementado um sistema de alerta rápido que prevê a troca de informações entre os Estados-membros. Mal sejam identificadas substâncias potencialmente perigosas, é possível tomar medidas para apurar os riscos concretos e aplicar controlos em toda a União Europeia. Nesse caso, as autoridades podem trocar dados e tomar iniciativas conjuntas.

euronews: Mesmo na internet?

AC: Sim, mesmo nas plataformas de venda na internet. Há vários exemplos onde a cooperação internacional funcionou.