Última hora

Em leitura:

Colecionador alemão doa mais de 300 obras da 'Idade de Ouro' dinamarquesa a museu

le mag

Colecionador alemão doa mais de 300 obras da 'Idade de Ouro' dinamarquesa a museu

Em parceria com

Christoph Müller tem uma paixão enorme pela arte, especialmente pela “Idade de Ouro” dinamarquesa.
No seu apartamento em Berlim, o colecionador de arte, de 77 anos, acumulou 374 obras (pinturas, desenhos, gravuras) desse período e decidiu doá-las.
A coleção foi confiada ao “Pommersches Landesmuseum”, localizado em Greifswald, na costa alemã do Mar Báltico.

“Temos, pelo menos, de requerer que seja a Rainha a inaugurar a exposição. Estas coisas não acontecem em toda a Europa”, afirmou Müller.

O museu terá a maior coleção alemã de arte da “Idade de Ouro” dinamarquesa. A exposição estará pronta em dois anos.

“Fui questionada há alguns anos se iria expandir a coleção e, se sim, com o quê. Respondi que seria com arte dinamarquesa do início do século XIX”, revelou Birte Frenssen, historiadora de arte no Pommersches Landesmuseum.

Apesar da paixão pela arte, Müller acredita que esta deve ser partilhada com os outros: “O único comportamento decente das pessoas ricas é comprar arte e doá-la a museus”.

Parte da sua coleção dinamarquesa, 37 obras no total, está neste momento exposta no Alte Nationalgalerie em Berlim. Em 2013, Müller ofereceu a sua coleção de pinturas holandesas ao Staatliche Museum em Schwerin, no norte da Alemanha.
Segundo Christoph Müller, os museus alemães costumam ter um departamento de arte holandesa, mas nenhuma coleção dinamarquesa completa.

Neste momento, Müller está especialmente interessado em Anton Thornfeldt, um pintor que se orgulha de ter trazido para a ribalta.

Artigo seguinte