Última hora

Em leitura:

EI reivindica atentado de Orlando levado a cabo por "soldado do califado"

mundo

EI reivindica atentado de Orlando levado a cabo por "soldado do califado"

Publicidade

A polícia norte-americana prossegue as investigações para apurar as motivações do mais mortífero atentado armado registado no país.

O ataque contra uma discoteca frequentada pela comunidade homossexual, em Orlando, durante uma festa latina, provocou a morte de 50 pessoas, ferindo pelo menos 53 no domingo.

O responsável da ação, um norte-americano de origem afegã foi abatido durante o assalto da polícia, ao final de três horas de sequestro de dezenas de clientes da discoteca Pulse.

O homem, identificado como Omar Mateen, de 29 anos, um funcionário de uma empresa de segurança, reivindicou a ação em nome do Estado Islâmico (EI), antes do grupo confirmar a responsabilidade do ataque, segundo o movimento, “levado a cabo por um soldado do califado”.

As autoridades locais identificaram até agora cerca de 21 vítimas, todas de origem hispânica, com idades entre os 20 e os 50 anos.

A polícia tenta agora apurar como é o que o atacante, funcionário de uma empresa de segurança, conseguiu manter a licença de porte de armas depois de ter sido investigado pelo FBI por alegadas ameaças terroristas e supostas relações com meios islamitas radicais.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte