Última hora

Em leitura:

Acionista da LSE aprovam fusão com Deutsche Börse

empresas

Acionista da LSE aprovam fusão com Deutsche Börse

Publicidade

A quase totalidade dos acionistas da London Stock Exchange (LSE) aprovaram a fusão com a alemã Deutsche Börse. Uma operação de 27 mil milhões de dólares, o equivalente a 24 mil milhões de euros, que esteve ameaçada pelo referendo britânico.

Esta é a terceira tentativa de fusão entre as entidades de gestão das bolsas de Londres e Frankfurt.

O acordo vai criar um dos maiores grupos bolsistas do mundo, quer o “Reino Unido seja um país da UE ou um mero país europeu”, como adianta o comunicado da LSE

O presidente da London Stock Exchange, Donald Brydon, está confiante de que Bruxelas vai dar a luz verde.

O analista Robert Halver, adianta: “Há uma relação amorosa entre as bolsas de Frankfurt e Londres. Eles querem unir-se. Mas há incertezas jurídicas. Não faz sentido dar a sede a Londres. Poderiam dizer: Sim, haverá uma fusão e Frankfurt terá a sede, mas como porta de retaguarda, no caso do Reino Unido ficar na UE, pode criar-se uma segunda sede, numa espécie de sentença de Salomão. O principal é que Frankfurt se mantenha na dianteira”.

A sede principal da Holding UK TopCo ficará em Londres.

Os acionistas Deutsche Börse, que vão controlar a maioria do capital da futura entidade, têm até 12 de julho para aprovar ou não a operação.

Mas na Alemanha, a contestação tem vindo a aumentar, devido ao “Brexit”. A autoridade reguladora dos mercados é reticente sobre o controlo da Bolsa de Frankfurt a partir de um país fora da UE.

A fusão prevê uma “comissão especial” para analisar e responder aos desafios criados pela saída do Reino Unido da União Europeia, talvez dentro de dois anos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte