Última hora

Em leitura:

Refugiado nigeriano morto em Itália

mundo

Refugiado nigeriano morto em Itália

Publicidade

Emmanuel Chidi Namdi tinha 36 anos e partiu da Nigéria, fugindo do Boko Haram, à procura de uma vida melhor. Era um dos milhões de requerentes de asilo mas nunca chegará a ver o “El Dourado”.

Namdi foi espancado, quase até à morte, com um sinal de trânsito arrancado do chão de uma rua, por um daqueles adeptos radicais de futebol, conhecido da polícia, à saída do asilo em que estava hospedado, em Itália, na cidade costeira de Fermo. Ficou em estado de coma irreversível.

Enquanto isso, em Regio Calabria, o resgate de refugiados que chegam à Europa não para.

Uma bebé, nascida a bordo de um navio de resgate, foi a última a ser levada, em segurança, para terra.

Faz parte dos 980 refugiados, da África subsariana a serem resgatados, na terça-feira, ao largo da costa da Líbia.

Nas últimas 24 horas mais de 4.500 pessoas foram salvas, em 30 operações diferentes lideradas pela Guarda Costeira italiana.

Ainda assim, e em relação ao mesmo período de 2015, o número de refugiados que chega é menor. Estimam-se 67.000.

Mas o número de mortes aumentou recentemente. As últimas vítimas foram dez mulheres encontradas mortas, num barco de borracha, na semana passada.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte