Última hora

Em leitura:

Apple e Irlanda contra a Comissão Europeia

economia

Apple e Irlanda contra a Comissão Europeia

Publicidade

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Com Rodrigo Barbosa, Isabel Marques da Silva (Bruxelas), AFP e RTE

A tecnológica californiana Apple não está sozinha na decisão de recorrer da sentença de Bruxelas relativamente à devolução de 13 mil milhões de euros em benefícios fiscais ao Estado irlandês.

Dublin diz que pretende também contestar a decisão da Comissão Europeia, dando assim início a uma batalha legal entre uma multinacional e um Estado soberano contra a CE.

Para o ministro da Saúde, Simon Harris, do partido de centro-direita Fine Gael, está em causa a soberania da Irlanda.

“O povo irlandês é muito a favor da Europa, mas não vai aceitar que burocratas europeus, que não foram eleitos, lhe digam o que fazer no país e com os negócios do país”.

A verdade é que as multinacionais instaladas na República da Irlanda empregam cerca de 10% da população ativa residente no país, ou seja, cerca de 170 mil pessoas.

A Apple dá emprego a cerca de 5 mil pessoas na Irlanda e prometeu vir a contratar mais mil pessoas. A multinacional tem as suas instalações no Condado de Cork, onde fica situada a cidade com o mesmo nome, a segunda mais importante do país.

E o Executivo prefere manter boas relações com uma marca da envergadura da Apple a abrir um precedente que poderia custar muito caro à recuperação económica do país.

John Halligan, ministro do Estado para a Formação e Inovação, não desculpa a multinacional, mas diz que a Irlanda tem outros problemas com que se preocupar:

“É verdade. Talvez a Apple devesse ter pago o dinheiro. Mas não me parece que o Governo deva ser desestabilizado ou deitado abaixo por causa deste tema,” disse Halligan.

“Há outros problemas , como o orçamento de Estado ou o Brexit. A Aliança Independente conseguiu um bom acordo. Haverá uma auditoria independente ao pagamento de impostos das multinacionais, para sabermos se pagam o que é devido,” continuou o ministro.

Irlandeses divididos

A Comissão Europeia, por seu lado, insiste nos fundamentos legais da sentença e diz que a Apple apenas tenta ganhar tempo.

Os irlandeses parecem divididos sobre a questão.

Alguns querem preservar a economia e evitar um conflito com grande empreas e outros dizem que 13 mil milhões de euros poderiam ajudar ao fim da austeridade, se fosse destinados, por exemplo, ao orçamento previsto para a saúde pública.

De resto, a quantia representa 5% do Produto Interno Bruto (PIB) da Irlanda.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte