Última hora

Última hora

Rússia: "Pudor" do Kremlin obriga ao encerramento de exposição de fotógrafo dos EUA

A vaga de constestação contra uma exposição de um fotógrafo norte-americano em Moscovo levou os organizadores a encerrar a mostra.

Em leitura:

Rússia: "Pudor" do Kremlin obriga ao encerramento de exposição de fotógrafo dos EUA

Tamanho do texto Aa Aa

A vaga de constestação contra uma exposição de um fotógrafo norte-americano em Moscovo levou os organizadores a encerrar a mostra.

Vários responsáveis próximos do Kremlin, entre as quais a provedora dos direitos das crianças, Anna Kuznetsova, denunciavam o que consideravam ser “pornografia infantil”.

A exposição intitulada “Sem Pudor”, do fotógrafo Jock Sturges retratava o dia-a-dia das colónias nudistas nos Estados Unidos, tendo sido classificada para maiores de 18 anosna Rússia.

A curadora do evento, Nataliya Litvinskaya, explica porque é que decidiu fechar as portas:

“Este centro tem por objetivo expor a arte fotográfica russa e estrangeira. Não vou manter uma exposição face a esta agitação e ao comportamento inadequado de algumas pessoas”.

Ontem um grupo de manifestantes próximos do Kremlin tinha-se manifestado à porta da exposição, vandalizando algumas obras no interior.

A polémica mostra não continha, no entanto, algumas das imagens criticadas por responsáveis russos, relativas a adolescentes despidos.

Um dos manifestantes, próximos de um grupo nacionalista, afirma,

“Esta exposição viola os valores russos, nós temos os nossos próprios valores, e estes não incluem pedofilia ou fotografias de crianças nuas”.

A exposição tinha aberto ao público no início do mês, sem qualquer polémica, antes do protesto nacionalista. O fotógrafo defendeu-se das acusações lembrando que, “as fotografias não causaram a mesma polémica nos outros países do mundo onde estiveram patentes ao público”.

As imagens da exposição podem agora ser vistas apenas na página do “Lumiére Brothers Center for Photography” de Moscovo.