Última hora

Em leitura:

EUA: Muitos latinos sentem-se insultados por Donald Trump


EUA

EUA: Muitos latinos sentem-se insultados por Donald Trump

ALL VIEWS

Clique para descobrir

É uma noite de “Salsa”, no Paladar, em Rockville, no Maryland, nas proximidades de Washington. Todas as segundas-feiras, os latinos e os amigos vêm aqui para as aulas de dança e para confraternizarem.

Muitos nasceram nos Estados Unidos, mas são filhos de imigrantes vindos Cuba, México, Porto Rico ou El Salvador. Falam da família, dos empregos, do futuro e, sobretudo, neste momento, da eleição presidencial.

Tradicionalmente, o voto dos latinos é conservador, mas na última década muitos apoiaram os democratas e com a nomeação de Donald Trump, e as declarações do candidato sobre esta comunidade, o voto republicano perdeu muita expressão.

Entre dois passos de dança, uma mulher afirma:
“Estou muito preocupada. O que é embaraçoso é que há pessoas que vão votar neste homem. Algumas pessoas vão votar neste homem”.

Outra, aponta:
“Ele não tem respeito pelas mulheres e nós os latinos… bom, eu não concordo com ele e não é o meu candidato favorito neste momento”.

Um outro cidadão está consciente do poder do voto latino:
“Há bastante atividade, mais do que no passado, na comunidade latina. É enorme! E será provavelmente qualquer coisa que vai desta vez decidir a eleição”.

Há 57 milhões de latinos a viver nos Estados Unidos e mais de 27 milhões – um recorde – vão poder votar na eleição de 8 de novembro. As sondagens sugerem que a comunidade vai massivamente votar em Hillary Clinton. Uma reação endémica “às declarações do candidato republicano que classificou os latinos de “violadores” e “ladrões” e afirmou que construiria um muro na fronteira com o México”: http://europe.newsweek.com/trump-has-demonized-our-latino-community-501752?rm=eu

“O que vemos é que os dois candidatos têm uma interação completamente diferente com a comunidade latina e o que vemos com Donald Trump é a diabolizaçãoo e uma retórica de insulto aos latinos, que é um discurso que, de todo, não queremos ouvir. E claro que quando nos insultam não vamos ficar parados como um saco de box para receber pancada, vamos responder com pancada e a nossa resposta é o voto”, afirma o porta-voz do maior grupo de advocacia latino, o National Council of La Raza.

O correspondente da Euronews em Washington, Stefan Grobe, lembra:
“George W. Bush obteve quase 40% dos voto dos latinos; Mitt Romney 27 %. Este ano, Donald Trump vai certamente ter ainda menos. Os republicanos vão ter que levar os latinos mais a sério se não querem perder permanentemente a presidência”.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Marrocos: Milhares de pessoas saem às ruas para contestar atuação das autoridades