This content is not available in your region

Pelo menos 240 migrantes morreram em dois naufrágios no Mar Mediterrâneo

Access to the comments Comentários
De  Miguel Roque Dias  com Reuters
Pelo menos 240 migrantes morreram em dois naufrágios no Mar Mediterrâneo

<p>Pelo menos 240 pessoas morreram, esta quinta-feira, em dois naufrágios ao largo da costa da Líbia, no Mar Mediterrâneo.</p> <p>A informação foi confirmada ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (<span class="caps">ACNUR</span>), por mais de 20 sobreviventes, que seguiam nas duas embarcações, quando chegaram à ilha italiana de Lampedusa.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">239 feared dead in Mediterranean, again: so many lives could be saved through more resettlement & legal pathways to protection. <a href="https://t.co/Zlu8AiuHeM">pic.twitter.com/Zlu8AiuHeM</a></p>— Filippo Grandi (@RefugeesChief) <a href="https://twitter.com/RefugeesChief/status/794207149685620737">November 3, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>“Ficaram chocados, traumatizados, pois estiveram muitas horas dentro de água, a tentar nadar, em direção à segurança. Eles foram encontrados na água e não num barco”, conta a porta-voz do <span class="caps">ACNUR</span>, Carlotta Sami.</p> <p>Segundo a Organização Internacional para as Migrações, em outubro mais de 27 mil migrantes conseguiram chegar a Itália. Um número bastante superior ao mesmo mês, em 2015. </p> <p>Para a organização, há uma explicação para o aumento do fluxo migratório.</p> <p>“De certa forma, é provavelmente devido ao êxito dos esforços anti-contrabando das marinhas europeias. Eles têm capturado e destruído muitos barcos de pesca usados para ajudar os migrantes a chegar a outro lugar. Então, na ausência desses barcos, com os migrantes decididos a sair, e os contrabandistas interessados em ganhar dinheiro com eles, as pessoas têm sido colocadas em embarcações de borracha completamente inseguras”, explica o porta-voz da <span class="caps">OIM</span>, Leonard Doyle.</p> <p>Segundo a <span class="caps">OIM</span>, mais de 4200 migrantes morreram afogados, desde o início do ano, numa tentativa desesperada de atravessar o Mediterrâneo. Um número superior aos 3777 registados em todo o ano de 2015.</p> <p>Esta quinta-feira, a Guarda Costeira Italiana salvou cerca de 800 pessoas das águas. Milhares não têm essa sorte.</p>