This content is not available in your region

Síria: Começou o assalto a Raqqa

Access to the comments Comentários
De  Dulce Dias  com AFP, Reuters
Síria: Começou o assalto a Raqqa

<p>O assalto à cidade síria de Raqqa já começou. A ofensiva tinha sido anunciada, pouco antes, pelas Forças Democráticas da Síria, aliança formada por grupos armados árabes e curdos, que pediram à população que abandonasse a cidade.</p> <p>Apoiada pela coligação liderada pelos Estados Unidos e alicerçada nos <span class="caps">YPG</span> – as “Unidades de Proteção do Povo”, uma das mais poderosas milícias curdas da Síria -, a operação “Cólera do Eufrates” visa reconquistar Raqqa ao autoproclamado Estado Islâmico, que fez desta cidade a sua capital de facto, na Síria.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="en" dir="ltr">This kurdish female is leading the operation to liberate <a href="https://twitter.com/hashtag/raqqa?src=hash">#raqqa</a> from <a href="https://twitter.com/hashtag/ISIS?src=hash">#ISIS</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/twitterkurds?src=hash">#twitterkurds</a> <a href="https://t.co/xzuBjlJSej">pic.twitter.com/xzuBjlJSej</a></p>— Aüd™ (@CodeAud) <a href="https://twitter.com/CodeAud/status/795230364906098688">6 novembre 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="fr" dir="ltr">La campagne des <a href="https://twitter.com/hashtag/FDS?src=hash">#FDS</a> pour libérer <a href="https://twitter.com/hashtag/Raqqa?src=hash">#Raqqa</a>, Colère de l'Euphrate sera dirigée par Rojda Felat. <a href="https://t.co/nOREm9y91I">pic.twitter.com/nOREm9y91I</a></p>— RojavaFrance (@RojavaFrance) <a href="https://twitter.com/RojavaFrance/status/795239975814123520">6 novembre 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>A retoma de Raqqa ocorre em simultâneo com a batalha de Mossul, o outro bastião dos jihadistas, mas no Iraque.</p> <p>Para os dirigentes ocidentais, a erradicação do Estados Islâmico passa obrigatoriamente pela reconquista de Raqqa.</p> <p>Situada nas margens do rio Eufrates, perto da fronteira turca, Raqqa, que contava 240 mil habitantes antes do conflito sírio ter início, foi a primeira capital provincial a cair nas mãos dos opositores ao regime de Bachar AL-Assad, em 2013, antes de ser tomada pelo Estado Islâmico, no verão de 2014.</p>