Última hora

Em leitura:

Trump reforça aliança com eurocéticos britânicos e extrema-direita francesa


EUA

Trump reforça aliança com eurocéticos britânicos e extrema-direita francesa

Milhares de pessoas voltaram a manifestar-se contra vitória de Donald Trump, nas principais cidades dos Estados Unidos.

As palavras de ordem contra as posições xenófobas ou racistas do candidato, ou a denúncia de um presidente eleito com o menor número de votos de sempre, voltaram a ouvir-se pela quarta noite consecutiva.

Trump que, durante a campanha tinha rejeitado afirmar se reconheceria os resultados do sufrágio, em caso de derrota, apela agora à unidade, quando a sua responsável de campanha afirma:
Kellyanne Conway:

“Claro que respeitamos a primeira emenda e o direito de expressão e manifestação. Só sei que se Trump tivesse perdido as eleições, toda a gente estaria a espera, como os media, que fossem os partidários de Trump a protestar. E todos diriam que era preciso que aceitassem os resultados das eleições e garantissem uma transição política pacífica”.

Os protestos reuniram centenas de milhares de pessoas em Los Angeles, na Califórnia, um bastião dos democratas.

Uma manifestante afirma:

“O nosso papel é participar, escrever aos deputados, este é apenas o primeiro passo. E penso que é importante estarmos juntos e esta experiência partilhada é importante. É o primeiro passo”.

O presidente eleito prossegue os preparativos para assumir a liderança do país em janeiro.

Trump recebeu ontem em Washington o líder eurocético britânico Nigel Farage, ao mesmo tempo que a extrema-direita francesa anunciou uma cooperação reforçada com a equipa do novo presidente.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Colômbia: Governo e FARC selam novo acordo de paz em Havana