Última hora

Em leitura:

Contas públicas britânicas melhoram mesmo com incertezas do Brexit


Economia

Contas públicas britânicas melhoram mesmo com incertezas do Brexit

O défice orçamental britânico desceu em outubro, mais do que o esperado pelos analistas. Mas a surpresa não é tão grande se for analisado todo o ano de 2016 fiscal: de abril a outubro a evolução é ainda não muito significativa.

De acordo com o gabinete de estatística do país, o défice fixou-se nos 4,8 mil milhões de libras estrelinas, ou seja, menos 25% que em outubro de 2015. Os economistas esperavam que ficasse nos 6 mil milhões. Desde o início do ano fiscal, que arrancou a 6 de abril, o Estado já teve de pedir emprestado 48,6 mil milhões de libras, 10,3% menos que no mesmo período do ano passado.

Para diminuir a dívida pública em 27% durante o ano fiscal em curso, conforme exigido pela Lei do Orçamento de março, Londres pode endividar-se apenas em mais 7 mil milhões de libras nos próximos cinco meses. Quanto à dívida pública, cresceu cerca de 51 mil milhões em outubro, para um recorde de 1.642 mil milhões de libras, ou seja 83,8% do produto interno bruto.

Estes dados são divulgados na véspera do ministro das Finanças britânico, Philip Hammond revelar o projecto de orçamento. Antevendo um abrandamento da economia por causa do Brexit, o responsável pelas contas públicas britânicas já anunciou que, tal como apontava o antecessor, a meta de excedente orçamental só deve estar cumprida em 2020.

Draghi defende que inflação na zona do euro precisa de suporte contínuo

Economia

Draghi defende que inflação na zona do euro precisa de suporte contínuo