Última hora

Em leitura:

Little Havana festeja morte de Fidel Castro


EUA

Little Havana festeja morte de Fidel Castro

Enquanto uns choram a morte do antigo ditador, outros celebram.

Em Little Havana, em Miami, muitos cubanos exilados saíram às ruas para festejar. Há quem não quisesse acreditar quando escutaram a notícia de que o primeiro-ministro e presidente da ilha durante 50 anos tinha morrido.

“Eu ouvi esta manhã, acordei e pensei: é verdade? Porque andava a ouvir este rumor durante anos e anos. Mas depois eu disse: Temos que ir celebrar! E abrimos uma garrafa de champanhe, temos que beber qualquer coisa”, diz uma mulher.

“Honestamente, a minha reação foi de alegria pelos meus avós. Eles ensinaram-nos sobre toda a dor e lutas que tiveram de enfrentar durante a vida e como Fidel simbolizou toda essa dor. Por isso, em essência, a morte dele é o símbolo da morte ou o fim dessa dor”, afirma um homem.

Muitos dizem que estão satisfeitos porque ser o princípio do fim de um regime.

“Não estou aqui para celebrar a morte de um homem, mas estou aqui para celebrar o princípio do desmoronamento de uma tirania que oprimiu o meu povo”, explica um rapaz.

“Eu ficaria satisfeito se o sistema se desmoronasse. Sem o Castro, sem ninguém, com Cuba livre. É aí que vou ficar feliz”, conta um homem.

Para muitos a celebração ainda não é total. A dança ainda vai a meio.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

EUA

Obama envia condolências por Castro, Trump lembra "ditador brutal"