Última hora

Em leitura:

Gâmbia: A paz pode estar de regresso ao país


Gâmbia

Gâmbia: A paz pode estar de regresso ao país

O presidente em final de mandato da Gâmbia, Yahya Jammeh, anunciou este sábado que abandona o poder para garantir a paz na nação depois de as tropas senegalesas terem invadido o país em apoio ao presidente eleito.

A mediação da Guiné e da Mauritânia permitiu uma saída pacífica para a crise. O ex-presidente perdeu, em dezembro, a eleição para Adama Barrow, mas recusava deixar a Presidência.

Os presidentes destes dois Estados obtiveram na sexta-feira, em Banjul, um acordo para Jammeh aceite a saída.

Numa declaração ao país, Yahya Jammeh disse: “Acredito na importância do diálogo e na capacidade dos africanos de resolverem entre si todos os desafios no caminho da democracia, do desenvolvimento económico e social. É por isso que decidi hoje, em boa consciência, Abandonar a liderança desta grande nação “.

Segundo uma fonte diplomática ligada às discussões, um acordo final será firmado pelo novo presidente da Gâmbia, Adama Barrow, que atualmente se encontra no vizinho Senegal, e pelo próprio Jammeh.

As tropas de cinco dos 15 países da CEDEAO chegaram na quinta-feira ao território da Gâmbia, no âmbito da operação “Restaurar a democracia”, a esperança regressa:

“Quero ver alguma justiça e eu quero ver uma conclusão”.

“Graças a Deus que ele concordou em sair. Onde quer que vá iremos saber e agarrá-lo para que seja julgado em Haia e vá para a prisão.”

Adama Barrow, de 51 anos, eleito presidente no dia 1º de dezembro, foi empossado na tarde de quinta-feira seguido de manifestações de celebração.

Nas últimas semanas, a escalada da tensão levou milhares de gambianos, residentes estrangeiros e turistas a abandonar o país.