Última hora

Em leitura:

Trump substitui Procurador-geral interino para forçar bloqueio anti-imigração


EUA

Trump substitui Procurador-geral interino para forçar bloqueio anti-imigração

Donald Trump não perdoou Sally Yates e decidiu despedir a até aqui Procuradora-geral interina. Para o lugar, e até à confirmação do procurador nomeado Jeff Sessions, o Presidente dos Estados Unidos chamou Dana Boente, o até aqui procurador federal para o distrito leste do Estado da Virgínia, de 62 anos.

Sally Yates, 56, questionou a legalidade da controversa proibição de entrada de imigrantes muçulmanos no país decretada por Donald Trump e pediu aos advogados do Ministério Público para não defenderem a ordem executiva. O Presidente aproveitou a alegada traição para substituir a procuradora de transição herdada de Barack Obama.

“A procuradora-geral interina, Sally Yates, traiu o Departamento de Justiça ao recusar fazer cumprir uma ordem legal para proteger os cidadãos dos Estados Unidos. O Presidente Trump dispensou Yates das suas funções”, indica o comunicado da Casa Branca.

O Presidente procurou alguém mais subserviente e terá encontrado a pessoa certa no procurador federal também escolhido curiosamente por Obama para o distrito leste da Virgínia.

Dana Boente já manifestou, aliás, a intenção de fazer respeitar a ordem executiva assinada sexta-feira por Trump contra a entrada de imigrantes muçulmanos oriundos de sete países.

 

Comunicado de Dana Boente

“Com base na análise do Gabinete de Assessoria Jurídica, que concluiu que a ordem executiva é legal (…) e foi adequadamente elaborada, rescindo a antiga procuradora-geral interina Sally Q. Yates, a 30 de janeiro de 2017, guiando e direcionando os homens e mulheres do Departamento de Justiça a cumprirem o nosso dever e defenderem as ordens legais do nosso Presidente”

Para o senador do Connecticut, Sally Yates merece ser elogiada. “Ela vincou uma opinião com base na moral e no princípio legal, seguindo a mais alta tradição do Departamento de Justiça. Afirmou que esta ordem não podia ser seguida e que a aplicação da lei e a moralidade são mais importantes do que as políticas do momento ou os decretos impulsivos de um regulador que aparenta falhar na perceção da lei. Ou, pelo menos, a sua Administração falha”, acusou o senador democrata Richard Blumenthal.

Entretanto, prosseguem os protestos contra o decreto de Donald Trump de bloquear a entrada no país a imigrantes muçulmanos oriundos de países discriminados. No Ohio, segunda-feira à noite, a manifestação contra a ordem executiva do Presidente degenerou em confrontos com a polícia, com as autoridades a recorrer a gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes.

ALL VIEWS

Clique para descobrir