ONU reconhece atrocidades da Birmânia para com os Rohingyas

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
ONU reconhece atrocidades da Birmânia para com os Rohingyas

<p>Os refugiados da minoria Rohingya no Bangladexe acolheram com satisfação o relatório das Nações Unidas sobre alegadas <a href="https://www.nytimes.com/2017/02/03/world/asia/rohingya-myanmar-un-report.html?_r=0">atrocidades cometidas pelas autoridades da Birmânia</a> sobre este povo, um relatório que fala mesmo em limpeza étnica.</p> <p>“Ao fim de muito tempo, a <span class="caps">ONU</span> disse, num comunicado, que estamos a ser perseguidos. Por isso, estou agradecido à <span class="caps">ONU</span> e à equipa jurídica das Nações Unidas e à visão que tem do mundo. Espero que o vosso trabalho possa ter como resultado a solução dos nossos problemas”, diz Mohammad Younus, um refugiado.</p> <p>A Prémio Nobel da Paz e conselheira da presidência, Aung San Suu Kyi, prometeu investigar as alegações. Suu Kyi, opositora histórica contra a junta militar na Birmânia, é agora a líder <em>de facto</em> do país.</p> <p>Os Rohingyas, de maioria muçulmana, são naturais do Estado de Rakhine, no norte da Birmânia, palco de uma guerra civil. Depois de ações de grupos armados Rohingyas, o exército birmanês lançou uma ofensiva em outubro, que fez centenas de mortos e dezenas de milhares de refugiados.</p> <p>Apesar das pressões da Birmânia, a Malásia está a ajudar os Rohingyas com ajuda alimentar. Esta sexta-feira, saiu um navio carregado de comida para o Estado de Rakhine.</p>