Última hora

Última hora

Fome ameaça 100.000 pessoas no Sudão do Sul

Muitos sobrevivem comendo sementes e raízes nos pântanos do rio Nilo, onde vivem.

Em leitura:

Fome ameaça 100.000 pessoas no Sudão do Sul

Tamanho do texto Aa Aa

A fome ameaça milhares de refugiados das zonas em guerra no Sudão do Sul. Muitos daqueles que fugiram das zonas em conflito sobrevivem comendo sementes que encontram na terra, nos pântanos do rio Nilo, onde vivem.

É o caso de Sara David, que juntamente com os dez filhos enfrenta a situação como pode: “Não temos comida que chegue. Estamos em guerra, temos muitos problemas em casa. Primeiro, precisamos de comida e só depois podemos resolver os nossos problemas”, diz a mulher.

George Fominyen, coordenador do Programa Alimentar Mundial, explica a situação: “Sobrevivem comendo plantas, raízes e sementes. Quando muito, conseguem comer uma vez por dia. São condições muito duras”.

O Uganda e o Sudão têm também servido de refúgio a muitos que fogem à guerra.

Estima-se que, ao todo, 100.000 pessoas estejam diretamente ameaçadas pela fome, no Sudão do Sul.

O estado de fome foi decretado, há uma semana, pelas Nações Unidas em várias partes do país, o que acontece pela primeira vez em seis anos.