Última hora

Última hora

Brexit: Que futuro para os polacos no Reino Unido?

Em leitura:

Brexit: Que futuro para os polacos no Reino Unido?

Tamanho do texto Aa Aa

Deixar tudo por uma nova vida no estrangeiro. Dorota Staniak veio para o Reino Unido há treze anos com o marido. A mulher que começou como empregada de hotel, administra agora o seu prório café no norte de Londres.

Como muitos do milhão de cidadãos que constituem a comunidade polaca por todo o país, ficou surpreendida com o resultado do referendo do ano passado.

“Fiquei realmente procupada e muito triste no dia seguinte. Lembro-me bem.”

Dorota está agora preocupada com o que o Brexit pode significar para a sua família, particularmente para os dois filhos: “Ainda não sabemos o que vai acontecer-nos. Não tenho passaporte britânico. E, honestamente, nenhum dos partidos disse até agora claramente, sim, as pessoas podem ficar depois do Brexit. Ainda não é claro”.

O destino dos polacos como Dorota, é uma questão espinhosa em Varsóvia, onde o governo está a tentar concluir um acordo o mais depressa possível.

Para o responsável da agência de imprensa polaca, em Londres, Jakub Krupa, a questão é prioritária para o governo polaco.
“Obviamente, essa é uma enorme prioridade política para o governo, neste momento. Há um milhão de polacos a viverem no Reino Unido, se voltam com as famílias são 5,6,7 milhões e são eleitores. Obviamente que o governo diz que é preciso garantir os direitos do cidadãos polacos no Reino Unido, o mais rapidamente possível, porque não se trata apenas de uma prioridade nacional, é também uma prioridade política”.

Andrezj Badziak deixou a Polónia há mais de 30 anos e acha que as pessoas têm que assumir também responsabilidades, não podem ter só direitos: “Eu gostaria que os polacos tentassem ficar aqui e intergrar-se. Foi o que eu fiz. Eles, o governo, vão fazer tudo no interesse público britânico e, claro, algumas pessoas vão ter que voltar para a Polónia”.

Quem quer que seja o próximo primiro-ministro, vai enfrentar longas noites de negociações em Bruxelas antes que a questão esteja resolvida.