This content is not available in your region

Somália enfrenta crise de fome

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Somália enfrenta crise de fome

<p>É necessário um apoio maciço e continuado para fazer face à fome iminente na Somália, alerta a Organização para Alimentação e Agricultura das Nações Unidas. </p> <p>O Plano de Prevenção da Fome e Resposta à Seca da Organização requereu, para isso, um reforço de cerca de 96 milhões de euros entre junho e dezembro deste ano, começando por um orçamento anual de cerca de 155 milhões de euros. Mais de 58 milhões foram mobilizados em Maio e o Banco Mundial viabilizou a aplicação imediata do plano actualizado com uma garantia de mais de 25 milhões.</p> <p>São cerca de 92 por cento os somalis em risco iminente de fome em zonas rurais, depois de dois anos de seca agravada e de esgotamento de stock alimentar, que originaram mais de 700 mil desalojados desde novembro de 2016, num êxodo desesperado em busca de sobrevivência.</p> <p>Segundo as Nações Unidas, o número estimado de somalis iminentemente face à fome passou, entre abril e junho deste ano, de 500 mil para 6.7 milhões.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="en" dir="ltr">How many people are hungry in <a href="https://twitter.com/hashtag/Somalia?src=hash">#Somalia</a>? <br /> Our technical release has the latest food security numbers.<br /> Save the date: Thursday 31st Aug 2017. <a href="https://t.co/3cawZ0OzuN">pic.twitter.com/3cawZ0OzuN</a></p>— <span class="caps">FAO</span> in Somalia (@FAOSomalia) <a href="https://twitter.com/FAOSomalia/status/901121888390348801">25 août 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O Plano de Prevenção da Fome e Resposta à Seca tem 3 linhas de atuação prioritárias junto das comunidades rurais: a de injeção direta de dinheiro, permitindo acesso a bens essenciais e distribuição de bens alimentares; apoio de regresso de desalojados ao local de origem, eliminando a dificuldade crescente de este se verificar à medida que o desalojamento se prolonga; prevenção para resistência a novos choques, como a antevisão e preparação feitas durante o <em>El Niño</em> em 2015 e 2016 e que se mostraram eficazes.</p> <p>O Plano integra uma resposta humanitária mais abrangente, que envolve as Nações Unidas e organizações não governamentais internacionais e locais e complementa planos de resposta à crise por parte de outras organizações como a <span class="caps">UNICEF</span>.</p>