This content is not available in your region

Madrid anuncia controlo da polícia regional da Catalunha

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva
Madrid anuncia controlo da polícia regional da Catalunha

<p>O Executivo espanhol anunciou a decisão assumir o controlo das forças de segurança regionais da <a href="http://web.gencat.cat/ca/inici/">Comunidade Autónoma da Catalunha</a>, de forma a impedir o referendo relativo à independência da mais rica das regiões do país.</p> <p>O <a href="http://www.interior.gob.es/">ministério espanhol do Interior</a> (Administração Interna) comunicou ao Governo da <em>Generalitat</em> o envio de reforços do <a href="https://www.policia.es/">Corpo Nacional da Polícia</a>, assim como de elementos da <a href="http://www.guardiacivil.es/es/index.html">Guardia Civil</a> para prestar apoio aos agentes da autoridade da região autónoma. <br /> <BR><br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="es" dir="ltr">Interior asume la coordinación de las Fuerzas de Seguridad en Cataluña <a href="https://t.co/B5EjyTpP9b">https://t.co/B5EjyTpP9b</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/EFEURGENTE?src=hash">#EFEURGENTE</a></p>— <span class="caps">EFE</span> Noticias (@EFEnoticias) <a href="https://twitter.com/EFEnoticias/status/911538436414242816">23 de setembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script><br /> <BR><br /> A medida implica que seja suspensas algumas das competência dos <a href="http://mossos.gencat.cat/ca/inici/">Mossos d’Esquadra</a>, a polícia autónoma catalã, e está prevista na lei espanhola. </p> <p>O mecanismo implementado pelo Estado espanhol deverá ser semelhante ao adotado durante as operações coordenadas que se seguiram aos <a href="http://pt.euronews.com/2017/08/26/europa-espanha-catalunha-barcelona-atentados-jiadistas-manifestacao-milhares">atentados jiadistas de Barcelona e Cambrils</a> (província de Tarragona) em agosto.<br /> <br /> <strong>Tensão nas ruas de Barcelona</strong><br /> <br /> A decisão foi tomada depois das manifestações da passada semana contra as <a href="http://pt.euronews.com/2017/09/20/catalunha-rajoy-defende-operacao-policial-contra-referendo-independentista">detenções de diferentes altos cargos</a> do Governo catalão, dia 20 de setembro. </p> <p>Pelo menos 14 pessoas foram detidas, numa operação das autoridades espanholas para averiguar possíveis responsabilidades nas preparação do referendo. </p> <p>As manifestações em Barcelona a favor da realização do referendo relativo à independência da Catalunha, previsto para dia 1 de outubro, mas suspenso pelo Tribunal Constitucional espanhol, têm <a href="http://pt.euronews.com/2017/09/11/europa-espanha-catalunha-barcelna-diada-manifestacao-referendo-independencia">vindo a crescer</a> em número e em grau de intensidade.<br /> <BR><br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="es" dir="ltr">Tardà (<span class="caps">ERC</span>): “Hoy quizás se sentirán más fuertes” controlando a los Mossos <a href="https://t.co/wT71sjMJFH">https://t.co/wT71sjMJFH</a> <a href="https://t.co/s3ZOSs2b31">pic.twitter.com/s3ZOSs2b31</a></p>— Europa Press (@europapress) <a href="https://twitter.com/europapress/status/911577138607910913">23 de setembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script><br /> <BR><br /> Depois das detenções, milhares de pessoas manifestaram-se diante do edifício do Conselho de Economia do Governo catalão (órgão correspondente a um ministério regional para a economia), destruindo veículos da <em>Guardia Civil</em> e impedindo a saída dos polícias do local onde tinha lugar a intervenção.</p> <p>Nos dias que se seguiram à operação, multidões foram-se concentrado à porta do tribunal onde eram tomadas as declarações dos detidos.<br /> <br /> <strong>Governo catalão recusa controlo de Madrid</strong><br /> <br /> Segundo o diário barcelonês <a href="http://www.lavanguardia.com/">La Vanguardia</a> , o Governo regional da Catalunha recusa-se a acatar a cedência de competências ao ministério do Interior. </p> <p>O conselheiro catalão para o Interior (Administração Interna) diz que a <em>Generalitat</em> procura <a href="http://www.lavanguardia.com/politica/20170923/431498288881/govern-mossos-referendum-1o.html">assistência jurídica</a> no sentido de saber qual a melhor forma de reagir às decisão de Madrid.</p> <p>Joaquim Forn diz que “é intolerável que o Estado diriga operações policiais da Catalunha através de um alto cargo do ministério”. </p> <p>Para o conselheiro da <em>Generalitat</em>, o Governo central procura, de facto, levar a cabo uma intervenção no seio da polícia regional catalã. </p> <p><strong>Com <span class="caps">EFE</span></strong></p>