Última hora

Sonangol deixa de ter presidente da comissão executiva

Mudança segue novo estatuto orgânico da petrolífera angolana, aprovado por José Eduardo dos Santos.

Em leitura:

Sonangol deixa de ter presidente da comissão executiva

Tamanho do texto Aa Aa

A petrolífera Sonangol, liderada por Isabel dos Santos, deixou de ter presidente da comissão executiva.

A medida segue o novo statuto orgânico aprovado pelo ex-chefe de Estado angolano, que entrou em vigor depois da posse de João Lourenço.

O novo estatuto orgânico da Sonangol foi aprovado por José Eduardo dos Santos em setembro e publicado seis dias depois, já após ter cessado funções.

Surgiu na sequência da exoneração de Paulino Jerónimo das funções de presidente da comissão executiva da petrolífera angolana.

A Sonangol funciona agora com dois órgãos, o conselho de administração, com até 11 membros, liderado por Isabel dos Santos, filha do antigo presidente da República, e um conselho fiscal.

O novo estatuto refere que Isabel dos Santos tem a competência de propor a “nomeação, recondução e exoneração dos representantes da Sonangol EP nos órgãos de gestão de outras empresas”, mas também “definir os pelouros de cada administrador”.

Mudanças estruturais aprovadas pelo antigo presidente

A aprovação do estatuto orgânico da Sonangol surge em simultâneo com outras duas decisões de José Eduardo dos Santos, exonerando três administradores executivos – entre os quais o presidente do conselho executivo – e nomeando outros três para a administração da petrolífera.

A empresária Isabel dos Santos assumiu em junho de 2016 o cargo de presidente da Sonangol, nomeada para as funções pelo pai, José Eduardo dos Santos.

A empresária admite que ainda é cedo para se “pensar num futuro brilhante”, salientando que continua a decorrer o trabalho para se atingir a estabilidade da empresa.

Com Lusa