Última hora

Última hora

"Estado da União": atrasos no Brexit e confusão na Catalunha

No Estado da União. estão em destaque a última ronda de negociações de Brexit, que acabou num impasse, e a confusa declaração de independência na Catalunha.

Em leitura:

"Estado da União": atrasos no Brexit e confusão na Catalunha

Tamanho do texto Aa Aa

A última ronda de negociações de Brexit acabou num impasse e Espanha celebrou o dia nacional ensombrada por uma das piores crises políticas nos últimos 40 anos. Estes são os temas em destaque no “Estado da União”, programa que passa em revista a atualidade europeia da semana.

Os líderes comunitários não vão abrir o capítulo negocial com o Reino Unido sobre a transição pós-Brexit, durante a cimeira da União Europeia (UE), na próxima semana, por falta de progresso suficiente no capítulo do divórcio.

A cimeira de Dezembro parece ser o novo prazo para fechar três dossiês essenciais: direitos dos cidadãos, fronteira da Irlanda e compromissos financeiros.

O líder trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, criticou o governo pela “escandalosa” falta de progresso no Brexit e deu uma resposta direta à pergunta que Theresa May evita responder. Como votaria em caso de um segundo referendo?

Corbyn disse: “Não haverá outro referendo, logo é uma questão hipotética, mas eu votei a favor da permanência porque pensei que essa era a melhor opção e não mudei de ideias sobre isso”.

Destaque, também, para a crise na Catalunha, com todos atentos à sessão do Parlamento Catalão, na terça-feira.

No final, Carles Puidgemont decidiu proclamar a independência, mas não totalmente, aumentando a confusão. Por um lado, reafirmou o direito da Catalunha à independência, mas, por outro suspendeu o processo separatista.

Esta foi uma semana muito positiva para o Presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, que anunciou o abandono da política holandesa ao fim de uma década, já que seu partido sofreu uma grande derrota eleitoral.

Mas o político vai manter-se no atual cargo europeu até meados de janeiro e, entretanto, foi nomeado assessor estratégico para o Mecanismo Europeu de Estabilidade, o fundo de resgate da zona euro. Estão em curso discussões para transformar este mecanismo num Fundo Monetário Europeu.

Há outro capítulo que se fecha na zona euro, já que o membro mais antigo ministro do Eurogrupo se despediu dos colegas. Trata-se do ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, o mais forte defensor da disciplina orçamental.

Agenda da próxima semana:

- segunda-feira, 16 de outubro: Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE vão reunir-se, no Luxemburgo para discutir as crises envolvendo o Irão, a Coreia do Norte, Myanmar e a Turquia

- terça-feira, 17 de outubro: Presidente da Turquia visita a Polónia

- quinta-feira, 19 de outubro e sexta-feira, 20 de outubro: Os líderes da UE vão reunir-se, em Bruxelas, para discutir, sobretudo, o Brexit