Última hora

Última hora

Harvey Weinstein expulso da Academia dos Oscares

Em leitura:

Harvey Weinstein expulso da Academia dos Oscares

Tamanho do texto Aa Aa


Uma decisão depois de uma reunião de urgência

A Academia norte-americana de Cinema e Ciências Cinematográficas, responsável pela atribuição dos
Óscares, expulsou o produtor Harvey Weinstein, acusado de assédio, agressão sexual e violação de mulheres.

Reunida de urgência, a Academia votou esta decisão “bastante para além da maioria necessária de dois terços”, anunciou a entidade.

“Não somente nos distanciamos de alguém que não merece o respeito dos colegas, mas enviamos uma mensagem clara de que acabou o tempo da ignorância deliberada e a cumplicidade vergonhosa relativamente a comportamentos de agressão sexual e assédio no local de trabalho na nossa indústria”, disse a Academia.




As acusações foram feitas por cerca de 30 mulheres da indústria do cinema, como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Mira Sorvino, Lea Seydoux, Judith Godrèche, Ashley Judd, e Rosanna Arquette.

Uma expulsão que não costuma acontecer

Harvey Weinstein, que durante muitos anos dominou Hollywood, recebeu uma chuva de críticas depois de terem sido publicadas notícias,sobre inquéritos ao seu comportamento, baseados em dezenas de acusações.

Apenas um membro da Academia tinha sido expulso até hoje, nos 90 anos de existência da instituição do cinema: Carmine Caridi, um ator que fez circular cópias confidenciais de filmes.




Esta semana,a Academia já classificava a conduta de Weinstein como “repugnante, abominável e antiética”.

Na quarta-feira, a Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA) anunciou a suspensão imediata da sua associação ao produtor.

Do New York Times à New Yorker: as revelações

Depois de um primeiro artigo do New York Times, do início de outubro, revelar acusações de assédio sexual contra Weinstein ao longo de décadas, mais de 30 mulheres denunciaram a violência sexual de que dizem ter sido alvo.

Weinstein admitiu o comportamento, pediu perdão, uma segunda oportunidade e acrescentou que tentava corrigir a forma de atuar há 10 anos, com recurso a terapia.

Uma investigação posterior, da revista New Yorker, revelou que três mulheres acusam Weinstein de violação.

Condenação da parte de atrizes e atores

Múltiplas personalidades do mundo cinematográfico, como as atrizes Meryl Streep, Kate Winslet, Judi Dench e Jennifer Lawrence, que trabalharam com o produtor, vieram a público condenar o comportamento de Weinstein.

Às vozes das atrizes juntaram-se também as de atores como Colin Firth, Mark Ruffalo, George Clooney e Christian Slater.

Com Lusa