Última hora

Última hora

Quénia: violência mancha novo escrutínio presidencial

A oposição, liderada por Raila Odinga, apelou ao boicote ao escrutínio.

Em leitura:

Quénia: violência mancha novo escrutínio presidencial

Tamanho do texto Aa Aa

Esta quinta-feira, os quenianos regressaram às urnas pela segunda vez desde agosto para escolherem um novo presidente.

O escrutínio de agosto deu a vitória ao atual presidente, Uhuru Kenyatta. No entanto, o resultado acabou por ser anulado pelo tribunal constitucional devido ao que foi descrito como “irregularidades”.

A oposição, liderada por Raila Odinga, apelou ao boicote ao escrutínio.

Esta manhã, as urnas abriram em ambiente de tensão elevada.

Analistas afirmam que o boicote decretado pela oposição poderá dar a vitória ao presidente Kenyatta. No entanto, o seu mandato poderá ser afetado pela baixa afluência às urnas e falhas processuais.

Ainda assim, Kenyatta apelou ao voto e ao respeito pelos direitos daqueles que não querem votar.

Nas ruas contudo, registaram-se alguns confrontos entre a população e a polícia que disparou balas reais para dispersar os manifestantes.

Segundo o líder da oposição, o novo escrutínio não será credível acusando ainda o presidente de seguir uma via autoritária.