Última hora

Última hora

Michael Flynn mentiu ao FBI sobre a Rússia

Mikchael Flynn, antigo conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, declarou-se culpado de mentir ao FBI sobre contactos com a Rússia. O reconhecimento de Flynn traz outra dimensão às acções do circulo próximo de Donald Trump antes de este assumir a presidência dos Estados Unidos.

Em leitura:

Michael Flynn mentiu ao FBI sobre a Rússia

Tamanho do texto Aa Aa

Michael Flynn declarou-se, sexta-feira, culpado de mentir ao FBI sobre contactos com a Rússia.

O reconhecimento de culpa do antigo conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, que concordou em cooperar com os procuradores, traz outra dimensão às ações do círculo próximo de Donald Trump antes de este assumir a presidência, em janeiro.

Entretanto, a Casa Branca disse que a declaração de culpa de Flynn o implica somente a ele.

"O General Flynn é mais um exemplo da extensão dos laços entre altos funcionários envolvidos nos esforços de Trump e os russos. Quantos mais terão de ser trazidos à justiça por causa das ligações com a Rússia até que se liguem todos os pontos?," declarou o senador democrata Mark Warner.

A mudança dramática dos eventos também suscitou mais perguntas sobre as ações do genro de Trump, Jared Kushner. O envolvimento de outras pessoas é uma possibilidade em aberto.

"Normalmente, os procuradores são muito cuidadosos com a linguagem. Então, se numa parte dos documentos referem-se a um" membro muito sénior ", e se, em outra parte, referem-se a alguém como, por exemplo, um" alto funcionário ", isso pode sugerir que se referem a mais do que uma pessoa," esclareceu a professora de direito na Brooklyn Law School, Miriam Baer.

Flynn tornou-se o primeiro membro da administração de Trump a declarar-se culpado de um crime descoberto pela ampla investigação sobre as supostas tentativas da Rússia de influenciar as eleições presidenciais norte americanas de 2016 e o concluiu potencial entre os ajudantes de Trump.