Última hora

Última hora

Regresso a casa de mãos vazias e coração pesado

Partiram à procura de uma vida melhor, encontraram o terror na Líbia mas estes nigerianos conseguiram um bilhete de regresso a casa.

Em leitura:

Regresso a casa de mãos vazias e coração pesado

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de nigerianos regressaram a casa, na noite de terça-feira, repatriado da Líbia pela União Africana quando cresce a indignação pelas imagens que mostraram migrantes a serem leiloados como escravos, no país.

Homens, mulheres e crianças, muitos deles com histórias duras para contar:

" (...) todas as manhãs, três vezes num dia, éramos espancados apenas para que pagássemos o dinheiro e nos fossemos embora. Na maioria das vezes, pagávamos o dinheiro e, no caminho para casa, outra pessoa vinha e prendia-nos novamente", adiantou Ejike Ernest, um dos refugiados.

"O homem que me raptou enviou um número de conta para a minha família, eles colocaram o dinheiro na conta, eles levantam-no em dinares, aqui na Líbia, é assim que eles fazem as suas transações. Bem, para nós não é fácil, não é fácil, estou tão feliz, agradeço a Deus, estou tão feliz, muito feliz, obrigado", desabafou Omoh Collins, outro nigeriano que regressou a casa.

A União Africana espera repatriar mais de 15 mil migrantes, da Líbia até o final do ano. Entre 400.000 e 700.000 estão espalhados por dezenas de campos de refugiados no país, muitas vezes em condições desumanas.