Última hora

Última hora

As mensagens privadas de Puigdemont

Em leitura:

As mensagens privadas de Puigdemont

Tamanho do texto Aa Aa

As mensagens eram privadas, mas já estão a correr o mundo. Um canal de televisão espanhol tornou públicas várias mensagens que o independentista Carles Puigdemont trocou por telemóvel com um antigo ministro catalão.

O ex-presidente do governo regional já confirmou a autenticidade das mesmas.

"Estamos a viver os últimos dias da Republica da Catalunha. O Plano Moncloa - governo espanhol - triunfou. Só espero que seja verdade e que graças a isso possam sair todos da prisão porque, se não, seria um embaraço histórico" refere.

As mensagens trocadas com o ex-conselheiro Toni Comín não ficam por aqui. "Suponho que tens claro que isto está terminado. Os nossos sacrificaram-nos, pelo menos a mim. Vocês serão conselheiros (espero e desejo), mas eu já estou sacrificado, tal como sugeriu Tardá” adianta.

"Não sei como vou viver - e espero viver durante muito tempo - mas vou dedicar a minha vida a por em ordem estes últimos dois anos e a defender a minha reputação. Os rumores, difamações e mentiras provocaram muitos danos. Isto agora acabou e tenho de me dedicar à minha defesa"pode ler-se numa outra mensagem.

Puigdemont fala de uma violação da privacidade e nega que o percurso político tenha chegado ao fim.

"Sou jornalista e sempre entendi que existem limites, como a privacidade, que nunca devem ser violados. Sou humano e também tenho duvidas. Também sou o presidente e não vou recuar. Continuamos!” escreveu no Twitter.

Esta terça-feira, o presidente do parlamento da Catalunha, Roger Torrent, adiou a investidura de Puigdemont como presidente do executivo catalão e prometeu continuar a bater-se pela democracia.