Última hora

Última hora

Ataque de Toronto: Tudo o que se sabe até agora

Em leitura:

Ataque de Toronto: Tudo o que se sabe até agora

Ataque de Toronto: Tudo o que se sabe até agora
Tamanho do texto Aa Aa

Passavam poucos minutos das dez da noite quando um homem entrou num restaurante no centro de Toronto, no Canadá, a disparar. Atingiu 15 pessoas.

"Temos de fazer alguma coisa em relação às armas"

Paula Fletcher Vereadora da CM de Toronto

Uma criança de 10 anos e uma jovem de 18 não resistiram aos ferimentos. Segundo Nathaniel Erskine, um agente da polícia local, a jovem de 18 anos que morreu, Reese Fallon, era finalista do secundário e planeava estudar enfermagem no próximo ano. Segundo aquilo que o polícia disse aos jornalistas: "a família está devastada".

Reese Fallon, uma das vítimas mortais do massacre

Quem era o atirador?

Faisal Hussain foi identificado pela polícia de Toronto como o responsável pelo ataque. Tinha 29 anos e sofria, segundo a própria família, de várias doenças mentais. O suspeito morreu logo a seguir aos disparos. A polícia ainda está a investigar a causa da morte do atirador: se terá morrido com os disparos dos oficiais ou se terá morrido depois de atirar em si próprio. As motivações do atentado ainda estão a ser investigadas.

Minutos depois do tiroteio, um vídeo do momento foi publicado por testemunhas nas redes sociais: (as imagens podem chocar os mais sensíveis)

John Tory, autarca de Toronto, falou aos jornalistas logo a seguir ao ataque. Disse que Toronto nunca foi uma cidade com este tipo de acontecimentos.

"Nós estávamos tão acostumados a viver numa cidade onde estas coisas não aconteciam. Víamos acontecer este tipo de ataques no resto do mundo, pensavamos que não aconteciam aqui. Tenho de pedir às pessoas que tentem manter a calma enquanto a polícia faz o seu trabalho.", afirmou John Tory.

Também o primeiro-ministro do país, Justin Trudeau, manifestou todo o apoio às vítimas e familiares através do Twitter.

Os meus sentimentos estão com as pessoas afetadas pela tragédia que teve lugar ontem à noite na Avenida Danforth. Desejo uma rápida recuperação para os feridos. O povo de Toronto é forte, resiliente e corajoso, e vamos apoiá-los neste momento difícil.

E agora?

Este ataque coloca em debate um assunto já muito falado nos EUA, país que tem sido palco de vários atentados deste género. O assunto? O uso de armas.

Paula Fletcher, vereadora da câmara municipal de Toronto, afirmou que "tem se de fazer alguma coisa em relação às armas. Temos um problema de armas na cidade de Toronto. Porque precisamos de armas de fogo, pistolas ou qualquer outro tipo de armas dentro dos limites da cidade? É ridículo.", disse.

A investigação ainda está a decorrer, entretanto, a polícia foi reforçada nas ruas de Toronto. As autoridades pediram às pessoas que enviassem todos os registos fotográficos e de vídeo que tivessem, para facilitar a investigação.

Depois do Massacre, as ruas de Toronto encheram-se de mensagens e homenagens às famílias das vítimas do ataque. "Toda a cidade está de luto" foi uma das mensagens lidas na rua.