This content is not available in your region

China suspende uso de modelo de avião que caiu na Etiópia

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho
China suspende uso de modelo de avião que caiu na Etiópia
Direitos de autor  REUTERS/Tiksa Negeri   -  

As autoridades chinesas ordenaram a todas as companhias aéreas do país para que não usem temporariamente aviões Boeing 737 Max 8, após a queda de um avião na Etiópia que provocou a morte dos 157 ocupantes este domingo.

A Administração da Aviação Civil da China esclareceu que a ordem se deve a preocupações com a segurança. Trata-se do segundo acidente com aquele modelo no espaço de cerca de cinco meses. A 29 de outubro, um avião da companhia Lion air caiu na Indonésia e provocou a morte de 189 pessoas.

A mesma decisão foi tomada pela companhia Ethiopian Airlines, que anunciou a medida no Twitter até haver conclusões do inquérito.

Como primeira consequência, as autoridades etíopes e o fabricante Boeing lançaram já uma investigação para apurar as causas da queda do avião. No terreno, os destroços ilustram bem a violência do desastre que não deixou qualquer sobrevivente e é já o pior da história da companhia.

Os primeiros dados indicam que o piloto terá relatado dificuldades e pedido ao aeroporto de Addis Abeba para voltar, mas acabou por se despenhar seis minutos após a descolagem.

S HLBOKÝM SMÚTKOM OZNAMUJEM, ŽE MOJA DRAHÁ MANŽELKA BLANKA, SYN MARTIN A DCÉRA MICHALA ZAHYNULI POČAS LETECKEJ KATASTROFY V ADDIS ABEBE DNES V RANNÝCH HODINÁCH. KTO STE ICH POZNALI, VENUJTE IM TICHÚ SPOMIENKU.

Publiée par Anton Hrnko sur Dimanche 10 mars 2019

A aeronave fazia a ligação entre a capital etíope e Nairobi, no Quénia.

Entre as vítimas estavam cidadãos de 35 nacionalidades, mas até ao momento não existe indicação de vítimas portuguesas. Foi uma verdadeira tragédia global. Prova disso foi a mensagem de um deputado eslovaco no Facebook, que revelou ter perdido a mulher, a filha e o filho no desastre.

A bordo seguiam ainda vários funcionários das Nações Unidas (ONU), o que levou o secretário-geral do organismo, António Guterres, a manifestar-se “profundamente entristecido” pela queda da aeronave.

“Profundamente entristecido pelas notícias desta manhã do acidente aéreo na Etiópia, reclamando a vida de todos a bordo”, afirmou hoje, numa mensagem na rede Twitter, acrescentando: "As minhas sinceras condolências às famílias e próximos de todas as vítimas – incluindo a nossa equipa das Nações Unidas – que faleceram nesta tragédia".

Investigadores da Agência Etíope de aviação Civil estão já na região de Bishoftu em busca das caixas negras da aeronave. As operações vão contar ainda com o apoio de uma equipa de peritos americanos.

Entretanto, o parlamento etíope já declarou luto nacional para esta segunda-feira.

Outras fontes • AFP / Lusa