This content is not available in your region

Supermercados europeus boicotam carne bovina brasileira

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa
Boicote carne bovina
Boicote carne bovina   -   Direitos de autor  LUSA   -  

Supermercados europeus, como a Auchan e o Carrefour, comprometeram-se a retirar produtos bovinos relacionados com a deflorestação no Brasil.

A decisão surge depois de uma investigação realizada pela organização brasileira Repórter Brasil, fundada principalmente por jornalistas, em parceria com a ONG norte-americana Mighty Earth.

A investigação revelou que produtos ligados à desflorestação são encontrados nos supermercados europeus, na forma de carne fresca, seca ou enlatada.

Em causa está um esquema conhecido como "lavagem de gado". Os animais são criado em áreas desflorestadas, transferidos para uma quinta regularizada, e só depois vendidos para o abate. Dessa forma, a origem da carne é "mascarada".

A JBS, maior produtora de carne do mundo, disse em comunicado que pratica uma política de tolerância zero "para a desflorestação ilegal, trabalho forçado e uso indevido de territórios indígenas ou áreas protegidas".

A companhia explicou que montou um sistema de "controlo por satélite dos seus fornecedores" há 10 anos.

Segundo a JBS, até ao momento não é possível "controlar os fornecedores dos fornecedores da mesma forma", mas o grupo afirma ter investido numa nova plataforma para obter até 2025 "uma cadeia de suprimentos sem o menor vestígio de desflorestação ilegal".

O Carrefour retirou de suas lojas na Bélgica o ‘jerked beef’ (um tipo de carne seca) da Jack Link’s das suas prateleiras. A Jack Link’s tem uma ‘joint venture’ com a JBS para produção de ‘jerked beef’ para exportações para Europa e Estados Unidos da América, de acordo com Nico Muzi, diretor da Mighty Earth Europe.

De acordo com a Mighty Earth, a rede de supermercados belga Delhaize comprometeu-se em "remover todos os produtos Jack Link’s das suas prateleiras".

A ONG também destaca as iniciativas de várias outras grandes cadeias de distribuição, como Lidl e Albert Heijn nos Países Baixos, ou Sainsbury's e Princes no Reino Unido, para evitar a venda de carne bovina brasileira cujos produtores estão ligados a ações de desflorestação.