This content is not available in your region

Rússia reconhece regiões separatistas ucranianas

Access to the comments Comentários
De  euronews
Rússia reconhece regiões separatistas ucranianas
Direitos de autor  Alexei Nikolsky/Sputnik   -  

A Rússia reconheceu a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia, aprofundando ainda mais a crise entre Moscovo e Kiev.

Vladimir Putin assinou dois tratados de amizade e assistência mútua com os dois líderes separatistas. Nos documentos, o presidente assume a mobilização de tropas russas para os enclaves, como um esforço para "manter a paz".

Num discurso transmitido pela televisão, Vladimir Putin justifica a assinatura dos acordos sublinhando que "a escolha da segurança não deve constituir uma ameaça para outros Estados, e a adesão da Ucrânia à NATO é uma ameaça direta à segurança da Rússia".

As agências de notícias afirmam que colunas de tanques e materiais bélicos foram vistos as circular pela cidade de Donetsk. Frisam, no entanto, não terem qualquer insígnia visível.

As autoridades ucranianas já reagiram, acusando a Rússia de destruir as conversações de paz.

Num discurso à nação, o presidente ucraniano excluiu quaisquer concessões territoriais

Volodymyr Zelensky espera que, agora, os parceiros da Ucrânia tomem "medidas de apoio claras e eficazes". O chefe de Estados diz ter chegado a altura de perceber quem são os verdadeiros amigos do país "e quem continuará a assustar a Federação Russa com palavras." Zelenskyy afirma, ainda, que está empenhado " num acordo político diplomático" e que a Ucrânia não sucumbirá "a quaisquer provocações."

Perante os últimos desenvolvimentos, o Conselho de Segurança das Nações Unidas reuniu-se, durante a noite, a pedido da Ucrânia e dos Estados Unidos da América.

O presidente norte-americano condenou o reconhecimento, por parte da Rússia dos territórios separatistas do leste ucraniano. Joe Biden anunciou ter assinando uma ordem executiva negando à Rússia a oportunidade de beneficiar das flagrantes violações do direito internacional e que a Casa Branca está a avaliar, com os aliados e com a Ucrânia, quais serão os próximos passos.

Os Estados Unidos e a União Europeia dizem que vão avançar com sanções pesadas contra a Rússia de modo a evitar, de facto uma invasão. No entanto, a região de Donbass prepara-se para a eventualidade de uma guerra.

Centenas de habitantes foram já levados para a região russa de Rostov.