This content is not available in your region

As imagens da guerra: veja a galeria das fotos mais recentes da invasão russa na Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Vlad Tanyuk, 6 anos, junto à sepultura improvisada da mãe, nos arredores de Kiev
Vlad Tanyuk, 6 anos, junto à sepultura improvisada da mãe, nos arredores de Kiev   -   Direitos de autor  AP Photo/Rodrigo Abd   -  

A invasão da Ucrânia pela Rússia começou na madrugada de 24 de fevereiro. Já lá vão 41 dias e a cada novo nascer do sol surgem mais imagens impressionantes do horror e da desumanidade desta guerra.

Na fotografia em destaque no topo desta página podemos ver Vlad Tanyuk, de seis anos, esta segunda-feira, 4 de abril, junto da sepultura improvisada para a mãe, Ira, nos arredores de Kiev.

De acordo com o fotógrafo Rodrigo Abd, da Associated Press, a mulher terá morrido de fome e da ansiedade provocada pela ofensiva das forças do Kremlin.

Na galeria em baixo, pode percorrer a coleção de fotografias registadas na Ucrânia que a redação da Euronews tem vindo a atualizar diariamente.

Algumas fotografias difundidas pelas agência noticiosas são demasiado explícitas do horror provocado na Ucrânia pela ofensiva ordenada por Vladimir Putin e por isso decidimos não as mostrar nesta galeria ao acesso de todos os leitores sem qualquer filtro de idade.

Invasão russa da Ucrânia

A Ucrânia foi invadida pelas forças militares afetas ao Kremlin na madrugada de 24 de fevereiro. Foi a concretização de uma estratégia iniciada três dias antes (21 de abril) com o decreto assinado por Vladimir Putin reconhecendo unilateralmente a independência dos territórios separatistas ucranianos nas regiões de Donetsk e Luhansk.

A ofensiva avançou por três frentes de batalha perante a incredulidade do resto do mundo, a assistir em direto pela televisão à invasão de um país soberano por uma das maiores potências nucleares do planeta. Kiev pareceu ser o alvo principal, mas os ataques aconteceram a partir dos territórios separatistas, a leste, e pelo sul, a partir da Crimeia, a península autónoma ucraniana anexada unilateralmente em 2014 pela Rússia.

As forças russas revelaram muita dificuldade perante a forte resistência ucraniana, que teve as forças armadas apoiadas pelas chamadas unidades de defesa territorial, compostas por civis armados, e pela Legião Internacional, um grupo formado por combatentes estrangeiros que se alistaram para ajudar a Ucrânia contra a invasão ordenada por Putin.

A ofensiva do Kremlin tem-se feito sobretudo com recursos a mísseis, canhões, raides aéreos e tanques, mas também com algumas operações terrestres, incluindo por mercenários chechenos.

A destruição de cidades tem chocado o mundo, em especial o arraso de Mariupol, na costa do Mar de Azov, entre a Crimeia e Donetsk.

Com o aparente recuo recente das forças terrestres russas em torno de Kiev, foram agora reveladas as imagens chocantes de Bucha, onde centenas de civis terão sido torturados e executados há semanas pelas forças afetas ao Kremlin.

A invasão russa cumpre, esta terça-feira (5 de abril), o dia 41.

Outras fontes • AP, AFP