Fogo em Zamora está controlado, mas em Navarra tornou-se imprevisível pelo vento

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
Chamas numa vinha de San Martin de Unx, em Navarra, Espanha
Chamas numa vinha de San Martin de Unx, em Navarra, Espanha   -   Direitos de autor  AP Photo/Miguel Oses

O fogo continua a lavrar em Espanha, inflamado pela atual onde calor em curso pelo sul da Europa e pelo consequente vento gerado pelas altas temperaturas.

As preocupações espanholas agora centram-se sobretudo em Navarra, a sul de Pamplona, não muito longe da fronteira com França.

As chamas ganharam força de sábado para domingo e pelo menos 15 localidades foram evacuadas. As previsões apontam para que as próximas horas se mantenham muito complicadas devido Às elevadas temperaturas, a secura dos terrenos e as rajadas de vento.

A situação continua altamente crítica.
Javier Remírez
Vice-presidente do governo de Navarra

A região de Navarra vai manter o nível 2 do Plano de Emergências e do Plano Territorial de Proteção Civil, expresso na proibição até à próxima quarta-feira dos trabalhos agrícolas que impliquem o uso de maquinaria que possa provocara faíscas ou descargas elétricas.

Na região de Zamora, entretanto, para onde foi mobilizado no sábado um contingente de operacionais dos bombeiros portugueses e do  Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a situação acalmou e alguns dos muitos deslocados já puderam regressar a casa na maioria das 18 localidades que tiveram de ser evacuadas.

O vento baixou de intensidade nesta região próxima da fronteira com o nordeste de Portugal, o contingente português desmobilizou este domingo e o fogo acabou por ser dado como controlado após ter consumido mais de 25 mil hectares numa região de reserva da biosfera e famosa por ser habitat do lobo ibérico.

França

Um treino militar perto do quartel de Canjuers, no sul do país, numa zona interior entre Marselha e Nice, provocou um incêndio na manhã de sábado, um dia marcado por recordes de calor para o mês de junho em várias regiões francesas devido à referida onda de calor.

Pelo menos 600 hectares de vegetação foram consumidos pelas chamas, controladas por volta da meia noite, sem colocar em perigo quaisquer habitações. Cerca de 290 operacionais, 85 veículos e cinco aviões Canadair foram deslocados para a zona para combater as chamas.

"O acampamento de Canjuers, e esta é a sua especificidade, é um deserto com vegetação para que as unidades operacionais do Exército possam treinar nas condições mais reais", explicou o capitão Olivier Pécot, responsável pela comunicação do Serviço Departamental de Incêndios e Socorro de Var, na região de Provença-Alpes-Costa Azul.

Alemanha

Na Alemanha, está em curso um incêndio a sudoeste de Berlim. O fogo na região0 de Treuenbrietzen está a ganhar força e a revelar-se imprevisível devido às mudanças do vento.

As autoridades começam a ponderar a evacuação de algumas localidades.

Estão a surgir entretanto outros focos, por exemplo, em Ferch ou em  Beelitz, uma região famosa pelas plantações de espargos.

"O fogo está a cerca de 1 a 1,5 quilómetro dos limites da cidade", afirmou o presidente da câmara de Beelitz, Bernhard Knuth, manifestando-se ansioso pela confirmação das previsões de chuva durante a noite para aquela região alemã.

Portugal

O incêndio no Fundão, que lavrou durante o sábado, foi dado como estando em resolução ao início da manhã deste domingo.

As chamas, que atingiram uma área de povoamento florestal na freguesia de Capinha, localizada no noroeste do município do distrito de Castelo Branco, foram o resultado de um reacendimento de um incêndio que eclodiu naquela zona na quarta-feira e chegou a ser dado como extinto.

Fonte do CDOS de Castelo Branco precisou que o incêndio entrou, às 08:20 de hoje, em resolução, ou seja, não tem perigo de propagação para além do perímetro já atingido, noticia a Lusa.

Outras fontes • El País, Franceinfo, Bild, Lusa