This content is not available in your region

Boris Johnson aceita demitir-se

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido   -   Direitos de autor  David Cliff/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

Boris Johnson está disposto a ceder à pressão e demitir-se. 

Após mais de 40 demissões no executivo, em apenas 24 horas, o apelo do recém-chegado ministro das Finanças, Nadim Zahawi, parece ter sido a gota de água para o primeiro-ministro britânico pedir a demissão.

Numa carta enviada, esta quarta-feira, ao chefe do governo, Zahawi expôs por que considera a atual situação "insustentável" para Boris Johnson se manter na liderança.dos conservadores e recomenda ao líder do executivo que "saia com dignidade".

"Primeiro-Ministro: isto não é sustentável e só vai piorar: para si, para o Partido Conservador e, mais importante, para todo o país. Deve fazer a coisa certa e partir agora.".

De acordo com vários meios de comunicação social britânicos, Johnson acedeu ao apelo, na condição de permanecer em funções até o Partido Conservador encontrar um novo líder.

O líder da oposição, o trabalhista Keir Starmer, já reagiu e pede "um novo começo para o Reino Unido", piscando um olho a novas eleições.

"Os conservadores têm observado 12 anos de estagnação económica, declínio dos serviços públicos e promessas vazias. Não precisamos de mudar a liderança dos 'tories'. Precisamos uma mudança adequada de governo. Precisamos de um novo começo para o Reino Unido", escreveu Starmer no Twitter.

A primeira-ministra da Escócia também já reagiu e antecipa "um abrangente sentimento de alívio de que o caos dos últimos dias, de facto meses, vai chegar ao fim".

"Embora a possibilidade de Boris Johnson se manter como primeiro-ministro até ao outono esteja longe do ideal e será certamente insustentável", escreveu na mesma rede social Nicola Sturgeon, que tem vindo a fazer campanha pela independência da Escócia perante o Reino Unido.