A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

O Dubai como plataforma internacional de negócios

O Dubai como plataforma internacional de negócios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Dubai afirma-se, cada vez mais, como uma plataforma de negócios a nível internacional e acolhe cimeiras, conferências e exposições que reúnem empresários do mundo inteiro.

"O Dubai ambiciona ser uma cidade líder no apoio aos negócios. A nível mundial, temos Nova Iorque, Paris, Londres e depois há um vazio até Singapura e Hong Kong. É esse o espaço que o Dubai ocupa. Uma localização estratégica, no meio de uma parte do mundo que é interessante e que está a crescer. Esse desejo de liderança e as aspirações do governo são algo fantástico. Eles querem manter o dinamismo, incentivar as empresas, continuar a crescer e a oferecer serviços, afirmou Hamad Buamim, presidente da Câmara de Comércio do Dubai.

As Pequenas e Médias Empresas são a base da economia do Dubai e representam 95% do tecido empresarial, mas, há cada vez mais companhias internacionais a estabelecerem-se no Emirado.

Um mercado em expansão

"Estão em crescimento, não só por causa da geografia mas também pela demografia. Os clientes do médio Oriente viajam muito. Muitos estão baseados no Dubai ou na região. É importante estar perto dos clientes para manter a ligação entre a nossa marca e os clientes. É um elemento que fica na memória quando eles viajam para a Europa e para os Estados Unidos", disse Joe Nahhas, presidente para o Médio Oriente e África da empresa Tiffany & Co.

"O mercado dos Emirados árabes Unidos é o nosso maior mercado no Médio Oriente. É muito importante estar presente e ter uma estratégia de marketing robusta. Isso é visível no nosso modelo Rapide. Nesta parte do mundo, no Médio Oriente, o Dubai é a capital dos negócios, da finança e dos media. Por isso é importante para uma marca como a Aston Martin estar presente neste tipo de eventos", considerou Dan Balmer, Presidente para o Médio Oriente e África do Norte da Aston Martin.

As oportunidades de negócio geradas pelo Brexit

"Muitas empresas britânicas vão tentar exportar para o Médio Oriente e para o Dubai, se sentirem que a Europa já não é tão atrativa. Enquanto Departamento de Comércio Internacional do Reino Unido, damos apoio às empresas que exportam para qualquer mercado e vamos continuar a fazê-lo", sublinhou Simon Crosland, representante do Departamento de Comércio Internacional do Reino Unido.

O Dubai faz parte da lista das melhores cidades mundiais para o comércio, a logística, o turismo e a finança.

"Vimos da Estónia com uma comitiva empresarial. Para eles, foi fácil vender esta viagem porque aqui podemos encontrar muita gente dos Emirados Árabes Unidos, do Médio Oriente e do Norte de África e de outras partes do globo. Do ponto de vista dos negócios internacionais, queremos ir a sítios onde há pessoas com quem podemos conversar e trocar ideias relevantes", disse Siim Sikkut, representante do governo da Estónia.

O Dubai implentou várias medidas para facilitar a implantação das empresas.

"O Dubai é um modelo importante para o mundo dos negócios, sobre a forma de fazer negócios, a nível empresarial e pessoal. Vivo no Dubai há dezanove anos. Assisti à transformação do Dubai, à forma como eles tornaram as coisas mais fáceis para as empresas e para as pessoas. É por isso que atraem muitas empresas. Está a tornar-se numa plataforma. As pessoas podem vir aqui estabelecer contactos e partilhar experiências, mostrar tecnologias e inovações. É uma presença local numa perspetiva global", contou Mohie El Rafey, responsável de Marketing da GE Healthcare, nos países do Golfo.