Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Eurasian Media Forum: debates de mente aberta da globalização à blogosfera

Eurasian Media Forum: debates de mente aberta da globalização à blogosfera
Tamanho do texto Aa Aa

Política mundial, excesso de consumo global, a chegada da inteligência artificial e um olhar sobre a blogosfera: a edição de 2019 do Eurasian Media Forum no Cazaquistão não fugiu às questões mais polémicas. Durante três dias do mês de maio em Almaty, este fórum debateu os principais desafios dos média da atualidade, ao abrigo da questão central: “O mundo de hoje: uma transformação da realidade?”

O Cazaquistão é o local ideal para discutir esta questão, segundo Armen Sarkissian, presidente da Arménia, durante o seu discurso no fórum: “Não é por acaso que as ideias sobre cooperação económica nasceram aqui [no Cazaquistão] e se tornaram realidade na era pós-soviética. A cooperação económica Eurasiática tornou-se numa realidade que, esperamos, se torne numa ponte para um dos nossos princípios mais acarinhados: a amizade entre os povos, culturas e civilizações.” Ao reunir especialistas do Ocidente e do Oriente, o objetivo do fórum é derrubar preconceitos e estereótipos. A partir daqui, é possível explorar a forma como o mundo está a mudar a um ritmo nunca antes visto e o que tal significa para nós.

A crise do excesso de consumo não respeita as fronteiras de cada país. Os debates do fórum indicam que o crescimento da população global irá aumentar o fosso de riqueza entre os países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento. A crise energética está a acentuar este problema ainda mais e, apesar de os governos reconhecerem que as energias verdes são uma opção mais sustentável para o planeta, as alterações climáticas representam uma ameaça que muitos ainda não levam a sério. A sustentabilidade é essencial para garantir a segurança alimentar, mas este é um tema que é igualmente afetado pelo aquecimento global e requer soluções que só podem ser encontradas através da inovação e de uma liderança informada.

“Um dos temas centrais deste fórum é uma nova realidade digital”, afirmou Dauren Abayev, Ministro da Informação e do Desenvolvimento Social do Cazaquistão, durante o seu discurso inaugural em Almaty. “Os problemas da interferência em eleições e processos políticos através de tecnologias digitais são também amplamente discutidos... Estes e outros problemas devem ser estudados com seriedade pela comunidade dos média, de forma a criarmos uma resposta abrangente.”

Como este evento no Cazaquistão é um fórum para e sobre os média, os debates são vistos à lente da imprensa internacional. Os meios de comunicação social possuem uma responsabilidade significativa quando apresentam as questões, usando precisão factual e dando espaço a opiniões variadas. A transformação para um mundo que dá primazia ao digital está a revolucionar a forma como as pessoas consomem os média, devido ao aparecimento de fontes de informação que não são nem equilibradas nem baseadas em factos. Este fórum considera que as fontes de informação de qualidade irão ultrapassar esta tempestade, já que haverá sempre necessidade de uma análise de qualidade feita por uma imprensa independente e fidedigna.

Contudo, a blogosfera é um mundo inteiramente novo. O Facebook, Snapchat, Pinterest, YouTube, Instagram, LinkedIn e o Twitter dominam a paisagem das redes sociais. Os bloggers e os influenciadores que fazem negócio com fotografias e vídeos publicados no Instagram e no YouTube tornaram-se rapidamente numa nova força e são essenciais para a estratégia de marketing das marcas. Este fórum reflete sobre a forma como o funcionamento da economia dos influenciadores permanece opaca, num momento em que as autoridades começam a perceber que esta é uma área que não deve permanecer sem supervisão. Os média tradicionais sempre mantiveram uma linha editorial separada da publicidade, mas só no último mês de setembro é que o governo britânico estabeleceu a forma como os influenciadores e bloggers devem declarar os seus patrocínios, para que o público distinga entre publicidade e opinião independente.

O facto de a inteligência artificial ameaçar determinados empregos em alguns setores (carros sem condutor, montagem em fábrica, preparação alimentar) foi um ponto de partida para alguns debates do fórum. Mas existem também outras áreas onde a automação pode melhorar significativamente a vida das pessoas (agricultura, desenvolvimento de novos medicamentos e transparência nos processos comerciais). Os desafios são reais, mas os algoritmos que alimentam o desenvolvimento desta nova tecnologia ainda são criados por humanos, o que significa que nos arriscamos a programar os nossos velhos preconceitos nesta ferramenta nova, futurista e supostamente neutra.

O debate e a discussão de mente aberta são vitais quando procuramos encontrar soluções para estes problemas. É isto que o Eurasian Media Forum pretende facilitar, reunindo pensadores e políticos que, normalmente, não se sentariam à mesma mesa. O objetivo do fórum é apresentar pontos de vista novos aos visitantes e aos observadores. Desta forma, as pessoas podem ver abalados os seus padrões de pensamento habituais. Aproximando o Ocidente do Oriente em debates sem preconceitos, podemos obter uma imagem mais global do modo como o mundo se está a transformar.