Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Eurasian Media Forum: debates determinados a acabar com os preconceitos

Eurasian Media Forum: debates determinados a acabar com os preconceitos
Tamanho do texto Aa Aa

O Eurasian Media Forum de 2019 colocou uma importante questão através do tema escolhido para a edição deste ano: “O mundo de hoje: uma transformação da realidade?”. Esta cimeira decorreu entre 22 e 24 de maio em Almaty, no Cazaquistão, e teve como objetivo aprofundar os principais desafios que os meios de comunicação enfrentam atualmente.

A 16.ª edição deste fórum de discussão internacional reuniu 600 delegados de 42 países e teve como objetivo incentivar a discussão, a inspiração e abordar novas ideias. O Cazaquistão é uma ponte natural entre o Ocidente e o Oriente, devido à sua posição estratégica entre a Ásia, Europa e o antigo bloco de leste. Ao reunir políticos, jornalistas e especialistas destas regiões, o Eurasian Media Forum veio colocar o país no mapa da discussão internacional. Aumentar o espírito de cooperação e a compreensão entre diferentes regiões e culturas foi o principal propósito de Dariga Nazarbayeva ao fundar este fórum em 2002.

Este é um fórum que não receia temas difíceis: Steve Bannon, o antigo estratega da campanha eleitoral de Donald Trump, subiu ao palco para discutir os equilíbrios do poder global. Ao lado de Bannon esteve Mark Siegel, diretor do Comité Nacional do Partido Democrata dos EUA entre 1973 e 1977, e ainda George Galloway, político britânico e ex-membro do Parlamento.

Entre os assuntos principais deste ano no fórum do Cazaquistão estiveram a desglobalização, o desequilíbrio de poderes e a falta de confiança. Na Ásia Central, o Cazaquistão e os seus vizinhos estão a colher os frutos da integração regional, através da partilha de recursos para o bem comum. Juntamente com o Quirguistão, Tajiquistão, Turquemenistão e Usbequistão, o Cazaquistão tem feito progressos notórios na produtividade laboral, políticas anticorrupção, administração pública, educação e turismo. Enquanto hub central, o Cazaquistão está empenhado em desenvolver o comércio regional e as vias de transporte, para além de proporcionar melhores condições negociais e de investimento. O fórum analisou formas de reforçar esta união, de modo a aumentar o crescimento das economias da região.

No entanto, no Ocidente, a tendência é avançar numa direção diferente: em vez de juntar forças, os países estão a reduzir a colaboração internacional. Os EUA têm vindo a demonstrar tendências isolacionistas, com ações como a retirada do Acordo de Paris sobre alterações climáticas do Conselho de Direitos Humanos da ONU, ao passo que o Brexit continua a provocar incerteza por toda a Europa. O fórum abordou a repercussão internacional destes acontecimentos e a forma como os média podem incentivar um debate saudável e fidedigno de forma a que todos possam entender a situação atual. Será o fim da era da globalização? Enquanto enfrentamos esta crise global contínua, que perspetivas temos?

O Eurasian Media Forum é um espaço de discussão saudável para opiniões divergentes, complementado pelo envolvimento ativo da audiência e moderado por profissionais da televisão. John Defterios, jornalista e pivô da CNN, Ghida Fakhry, apresentadora da TRT, canal público da Turquia, e o projeto de debate intercultural do Catar conhecido como Doha Debates, trouxeram os seus conhecimentos a este fórum.

As tendências económicas, as ameaças ambientais e o futuro da legislação sobre a marijuana estão em cima da mesa. Ninguém foge à controvérsia. Os blogues e as redes sociais representam uma nova e entusiasmante forma de comunicação fora da estrutura dos meios de comunicação social? Ou representam toda uma nova forma de propagação de informação falsa? A inteligência artificial é uma ameaça importante ao futuro da humanidade ou as vantagens suplantam os perigos? Este é um mundo em rápida mudança. As pessoas e os países procuram novos modelos de orientação, enquanto os significados não aparecem.

Ao longo dos anos, mais de 1500 representantes dos meios de comunicação global participaram no Eurasian Media Forum, incluindo o Bloomberg, a BBC, Euronews, Associated Press, CNN, Al Jazeera, The New York Times, Reuters e o Russia Today. O Cazaquistão pretende ser uma ponte onde pessoas com opiniões divergentes se possam reunir e encontrar pontos de vista comuns, com base num ponto de partida fundamental em que só juntos e trocando ideias podemos eliminar preconceitos e derrubar estereótipos. Desta forma, o Eurasian Media Forum tem como objetivo ser um local onde as pessoas descobrem novas formas de pensar e olham para o mundo de uma forma diferente.