Última hora
This content is not available in your region

Emirados Árabes Unidos investem na exploração do espaço

Emirados Árabes Unidos investem na exploração do espaço
Tamanho do texto Aa Aa

Com mil e trezentas exposições e 90 mil visitantes, o Dubai Air Show 2019 foi a ocasião para conhecer as últimas tecnologias aeroespaciais e as ambições do Dubai no domínio espacial.

A concorrência é intensa no setor da aviação. As companhias aéreas querem novos aviões mais seguros e eficientes. O setor é dominado pela Airbus e pela Boeing. No Dubai, a companhia europeia liderou a corrida, ao assinar um contrato com a Emirates para a compra de mais de 50 modelos do A350 XWB. "A encomenda de 16 mil milhões de dólares ao preço de tabela, inclui os motores Rolls Royce Trent WXB. A Emirates deverá também assinar um contrato para a compra de de 30 Boeing 787-9 Dreamliners, no valor de 8,8 mil milhões de dólares", disse à euronews Sheikh Ahmed Bin Saeed Al Maktoum, presidente do grupo Emirates.

O Boeing 737 Max não está autorizado a voar depois das catástrofes na Indonésia e na Etiópia. "O avião só voltará a voar quando a Autoridade Federal da Aviação e outros organismos de regulação mundiais nos disserem que é seguro", confirmou Charlie Miller, vice-presidente do Departamento de Comunicação da Boeing. Apesar das incertezas, a Boeing recebeu 60 pedidos de encomenda do modelo 737 Max. Durante o Dubai Air Show, a Boeing recebeu encomendas no valor 16 mil milhões de euros, enquanto a Airbus ficou um pouco acima, com contratos no valor de 19,5 mil milhões de euros.

Emirados Árabes Unidos investem na exploração do espaço

O ano de 2019 marcou a exploração espacial nos Emirados Árabes Unidos. "No ano passado, lançámos o primeiro satélite totalmente desenvolvido nos Emirados Árabes Unidos. Em setembro e outubro, atingimos outro grande marco com a estreia de Hazzaa Almansoori, o primeiro astronauta dos Emirados Árabes Unidos, o terceiro astronauta árabe no espaço e o primeiro árabe a ir para a Estação Espacial Internacional", frisou Salem Al Marri, Diretor do programa de astronautas dos Emirados Árabes Unidos, do Centro Espacial Mohammed Bin Rashid. "Foi uma experiência incrível poder participar no esforço da humanidade para explorar o espaço e integrar a Estação Espacial Internacional", disse à euronews Hazzaa Almansoori. "Viajamos a 28 mil quilómetros por hora. Em 24 horas, vemos cerca de 16 vezes o sol a nascer e a pôr-se", acrescentou o astronauta dos EAU.

Mulheres destacam-se na indústria aeroespacial

Os Emirados Árabes Unidos estão de olhos postos em Marte. Um projeto em que as mulheres desempenham um papel de destaque. "Nós adoramos Marte. O nosso grande objetivo no próximo ano é precisamente Marte. Vamos realizar uma missão com a Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos para estudar a atmosfera de Marte pela primeira vez, durante um dia inteiro", disse Salem Al Marri. "Há um país árabe a investir na construção de satélites para Marte e para o Espaço. É fascinante. E temos mais mulheres a trabalhar nesta área. Significa que estamos no bom caminho", disse Diana Alsindy, engenheira dos Emirados Árabes Unidos. "Mais de 50% dos engenheiros do centro são mulheres. Cerca de 80% de nossa equipa científica é liderada por mulheres", acrescentou Salem Al Marri.

Observar a Terra a partir do espaço é uma experiência inesquecível e transformadora. "Estive no espaço e vi a terra de forma diferente: pacífica, linda, sem fronteiras, sem nomes de países. Só vemos oceanos azuis e montanhas. Ficamos impressionados. Temos muita sorte em estar aqui, no nosso planeta", frisou o astronauta Hazzaa Almansoori.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.