Última hora

Última hora

PPE escolhe Juncker a pensar na Comissão ou no Conselho da UE?

Em leitura:

PPE escolhe Juncker a pensar na Comissão ou no Conselho da UE?

Tamanho do texto Aa Aa

A menos de três meses das eleições europeias, faltava conhecer um cabeça-de-lista na corrida à presidência da Comissão Europeia: o do Partido Popular Europeu (PPE).

Jean-Claude Juncker foi o escolhido, esta sexta-feira, num congresso, em Dublin (capital irlandesa), e no discurso final, disse que “precisamos de falar não apenas da União Europeia (UE) que não funciona, mas também daquela que provou ao mundo que os europeus são capazes de grandes coisas quando estão unidos”.

O ex-primeiro-ministro luxemburguês e ex-presidente do Eurogrupo contou como apoio fundamental da Alemanha e obteve mais votos que o candidato francês Michel Barnier, atual comissário europeu para o Mercado Interno.

A enviada da euronews a Dublin, Audrey Tilve, entrevistou Juncker pouco depois da sua eleição no congresso e perguntou-lhe o que é que, enquanto federalista, pretende realizar numa UE que é vista como pesada e invasiva por um cada vez maior número de europeus.

“Partilho a opinião daqueles que pensam que a UE está a exagerar no alargamento das suas competências. Acredito que a UE se deve ocupar das grandes questões europeias, dos grandes problemas como o desemprego, a consolidação orçamental, o euro, a política externa. Mas não deve interferir muito na resolução de questões ligadas ao quotidiano dos cidadãos europeus. Acredito que se a UE se entretiver com coisas de pequena monta, vai ter um grande problema”, disse Juncker.

Para analisar em maior profundidade esta escolha do PPE, a correspondente da euronews em Bruxelas, Margherita Sforza, entrevistou Jean Quatremer, correspondente em Bruxelas do jornal francês “Libération”.

“Penso que o expectável é entregar a Juncker a presidência do Conselho Europeu. Porquê? Primeiro Juncker tem dito aos jornalistas, desde sempre, que o trabalho do presidente da Comissão Europeia é desgastante e não o atrai. Prefere ser presidente do Conselho Europeu e os chefes de governo deverão nomeá-lo para esse cargo”, disse o jornalista.

(veja as entrevistas na íntegra em vídeo)