Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J18: Benfica falha prova dos nove, Sporting morde calcanhares ao Porto

Em leitura:

Liga Portuguesa, J18: Benfica falha prova dos nove, Sporting morde calcanhares ao Porto

Tamanho do texto Aa Aa

Há quase dez anos que não se via nada assim na Liga Portuguesa. A última vez que Benfica e Porto foram ambos derrotados no mesmo fim de semana foi na 28ª jornada da temporada de 2004/2005. Os dragões foram derrotados no Estádio do Bessa com um golo de Cadú, um dia depois foi a vez das águias saírem derrotadas da deslocação a Vila do Conde.

Miguelito, no último minuto do tempo regulamentar, apontou o tento da vitória do Rio Ave. Estávamos a 10 de abril de 2005. Esta segunda-feira foi Sérgio Oliveira a garantir o triunfo para o Paços de Ferreira, também no minuto 90.

A equipa de Jorge Jesus desperdiçou uma oportunidade de ouro para deixar o Porto a nove pontos ao sair derrotada da Mata Real. Na antevisão do encontro, o técnico encarnado tinha prometido um Benfica mais forte na segunda volta mas para já a promessa não passa disso mesmo.

Os campeões nacionais acertaram por três vezes no ferro da baliza de Rafael Defendi e ficaram em branco no campeonato pela primeira vez desde abril de 2012. Nem de grande penalidade conseguiram bater o guarda-redes brasileiro, Lima acertou em cheio na trave.

O Paços efetuou uma exibição bastante equilibrada. Mesmo com um central improvisado (Romeu) a linha defensiva não vacilou e os homens mais adiantados nunca perderam de vista a baliza de Júlio César.

Foram recompensados ao cair do pano. Sérgio Oliveira fez o que Lima não conseguiu: marcou um penálti e deu os três pontos à sua equipa.

Suspirou de alívio o Porto, que no domingo também tinha saído derrotado do Estádio dos Barreiros. A equipa azul-e-branca teve bastante posse de bola mas sempre que conseguiu ultrapassar a bem organizada linha defensiva do Marítimo, encontrou pela frente um Salin inspirado.

O guarda-redes francês defendeu tudo o que havia para defender e foi o grande destaque do encontro. O único jogador a encontrar o caminho do golo foi o brasileiro Bruno Gallo, aos 32 minutos.

O Sporting acabou por ser o grande vencedor desta jornada. A equipa verde-e-branca foi a única a conquistar os três pontos entre os seis primeiros classificados.

É verdade que a Académica nunca tentou vencer o encontro, apenas rematou à baliza de Rui Patrício já nos descontos, mas nem isso tira mérito à vitória leonina.

Os pupilos de Marco Silva estiveram longe de fazer uma exibição de encher o olho mas foram suficientemente pragmáticos para oferecer a vitória aos 37 769 espectadores presentes. João Mário foi o autor do único golo do encontro, aos 76 minutos.

Segue, segue! 5.a vitória consecutiva na Primeira Liga e já estamos a apenas 1 ponto do 2.° lugar. #DiaDeSporting

Uma foto publicada por Sporting Clube de Portugal (@sportingclubedeportugal) a


Com este triunfo, o Sporting colocou-se a apenas um ponto do FC Porto e a sete do Benfica. Deixou também o Vitória de Guimarães mais longe. A equipa de Rui Vitória não foi além de um empate a duas bolas na recepção ao Gil Vicente.

A 15 minutos do noventa os gilistas venciam por 2-0 mas foram incapazes de segurar a vantagem. André André, na marcação de uma grande penalidade, evitou males maiores para os vimaranenses no último suspiro do encontro.

Pior fez o Sporting de Braga, derrotado no Bessa pela margem mínima. Uchebo foi o abono de família do Boavista ao apontar o tento solitário aos 80 minutos.

O único nulo da 18ª jornada castigou os poucos espectadores que se deslocaram ao Estádio do Restelo para assistir ao encontro entre Belenenses e Penafiel.

Em crescendo de forma está o Estoril, que se impôs ao Arouca com um golo de Léo Bonatini e provou que está na luta por um lugar na Europa.

Também o Nacional da Madeira tem vindo a subir na tabela e somou a terceira vitória consecutiva, em Moreira de Cónegos, por 3-2. Lucas João garantiu o triunfo no último suspiro do encontro. O angolano tem já quatro golos apontados nas últimas três jornadas.

Por fim, destaque para o regresso em grande de Bruno Ribeiro ao Vitória de Setúbal. O técnico apostou na juventude, como é seu apanágio, com a presença de cinco elementos da formação sadina no onze inicial e não se deu nada mal. Goleou o Rio Ave por 4-1.