Última hora

Última hora

Militar espanhol da ONU foi morto por fogo israelita

Uma alta patente do Tsahal confirmou que Francisco Javier Soria, o cabo da FINUL morto no Líbano, junto à fronteira com Israel, foi vítima de um morteiro israelita.

Em leitura:

Militar espanhol da ONU foi morto por fogo israelita

Tamanho do texto Aa Aa

Uma fonte do exército de iIrael confirmou que o militar espanhol da ONU morto no Líbano, esta quarta-feira, foi vítima de fogo israelita, embora não haja ainda uma declaração oficial por parte das forças de Israel.

Uma alta patente do Tsahal diz que o cabo Francisco Javier Soria foi morto por um morteiro disparado por israelitas, durante um bombardeamento em represália por uma emboscada do Hezbollah.

Soria fazia parte da FINUL, a Força Internacional das Nações Unidas no Líbano, e estava de sentinela numa guarita, à entrada de uma aldeia, quando foi atingido plo morteiro. O governo espanhol exige explicações: “A Espanha pediu às Nações Unidas a abertura de uma investigação urgente e exaustiva, que esclareça o que aconteceu”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Manuel García Margallo.

A morte aconteceu em Ghayar, uma aldeia na fronteira com Israel, junto à região de Shebaa e aos montes Golã, zonas ocupadas pelos israelitas. A Espanha é o país com mais militares neste setor da FINUL, ao todo 586.

A embaixada israelita em Espanha lamentou a morte e prometeu que o exército iria abrir uma investigação.