Última hora

Última hora

Transplante de cabeça humana avança 200 anos depois de "Frankenstein"

Equipa médica liderada pelo controverso italiano Sergio Canavero espera colocar a cabeça de Valeri Spiridonov na mesa de operações em 2016

Em leitura:

Transplante de cabeça humana avança 200 anos depois de "Frankenstein"

Tamanho do texto Aa Aa

Valery Spiridonov é um russo de 30 anos, que sofre de uma rara doença degenerativa: atrofia muscular espinal. É o primeiro voluntário a ceder a própria cabeça para uma intervenção cirúrgica pioneira apenas conhecida em filmes como a história de “Frankenstein”: o transplante de uma cabeça humana para um corpo saudável.

Spiridonov confessa ter medo, mas assume-se determinado: “Estou a ser honesto face as minhas chances. Compreendo que este tipo de cirurgia pode representar uma grande oportunidade para que eu possa continuar a viver. E se acontecer o pior, no caso de isto não ter êxito, saberemos que pelo menos foi criada uma enorme quantidade de informação depois da cirurgia que pode vir a ajudar os médicos no futuro a conseguir ter sucesso neste tipo de transplantes.”

O voluntário russo está convisto de que este será um grande passo para a ciência, ao nível, salienta, do primeiro voo espacial de um ser humano efetuado em 1961 pelo compatriota Yuri Gagarin.

O controverso médico italiano Servio Canavero lidera o projeto. A expectativa é que este transplante de cabeça aconteça já no próximo ano