Última hora

Última hora

Referendo leva presidente da Catalunha a tribunal com mais de 3000 apoiantes à porta

Mais de 3000 pessoas manifestaram, esta quinta-feira, à porta do Palácio da Justiça de Barcelona, em Espanha, o apoio ao presidente da região

Em leitura:

Referendo leva presidente da Catalunha a tribunal com mais de 3000 apoiantes à porta

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 3000 pessoas manifestaram, esta quinta-feira, à porta do Palácio da Justiça de Barcelona, em Espanha, o apoio ao presidente da região autonómica espanhola da Catalunha. Artur Mas deslocou-se ao tribunal para responder pela acusação de “desobediência” por ter levado em frente, no ano passado, um referendo regional considerado ilegal pelo Tribunal Constitucional, no qual foi colocado a votação a eventual independência da Catalunha face a Espanha.

[ Convocatória de Artur Mas para se apresentar no tribunal ]

Perante o tribunal, o presidente da Catalunha assumiu questionou os motivos de estar a ser interrogado pelo poder judicial. “Não entendo por que estou aqui a dar explicações. De qualquer forma, teria de as dar perante o Parlamento. A consulta foi uma decisão política”, defendeu.

Recusando responder às perguntas da “Fiscalía” espanhola, Artur Mas prestou uma declaração, na qual assumiu “toda a responsabilidade” pelo referendo. O líder regional apelou ao tribunal para que mais ninguém seja arrolado ao caso — a ex-vice-presidente Joana Ortega e a conselheira Enseñanza Irene Rigau também estão acusadas de desobediência e foram ouvidas terça-feira.

A 9 de novembro de 2014 — cinco dias após o Tribunal Constitucional ter oficializado o veto do referendo, considerando-o ilegal —, mais de 2,3 milhões de catalães — menos de metade dos catalães com direito de voto — responderam à chamada às urnas de Artur Mas. O “sim” à independência, sem efeitos práticos, recebeu a aprovação de 81 por cento dos votantes.