Última hora

Última hora

Uzbequistão "Life": As joias do artesanato de Bukhara

Em leitura:

Uzbequistão "Life": As joias do artesanato de Bukhara

Tamanho do texto Aa Aa

A agitação é grande na casa do mestre tecelão. Umida Mukhamadiyeva e as colegas falam sobre os últimos tapetes feitos à mão, sobre as cores e as

A agitação é grande na casa do mestre tecelão.

Umida Mukhamadiyeva e as colegas falam sobre os últimos tapetes feitos à mão, sobre as cores e as técnicas de tecelagem. A tradição secular reuniu as mulheres do bairro na maior casa da zona para trabalharem juntas. Têm orgulho na arte de tecer tapetes, que faz parte integrante da história da cidade de Bukhara.

Umida Mukhamadiyeva, mestre tecelã, recorda: “Este tipo de tapetes faz parte da nossa cultura. Se entrar na casa de uma família uzbeque verá estes tapetes nas paredes e no chão.”

Os tapetes de Bukhara são famosos a nível mundial pelo design distintivo e pelos padrões multicoloridos. As cores são o resultado de corantes naturais: o vermelho da romã, o amarelo das cebolas e o castanho da casca da noz.

Umida Mukhamadiyeva acrescenta: “Todas as fibras que usamos são naturais. Temos um método único de tecelagem e o design diferencia os nossos tapetes. Usamos muitos motivos animais, padrões tribais e flores”.

Os tapetes de Bukhara são feitos com seda, algodão ou lã do pescoço do bebé camelo. Para realizar um pequeno tapete são precisos pelo menos três meses.

Os artesãos vendem os tapetes em quase todos os cantos do movimentado centro. A cidade é famosa pelos bazares, pelas cúpulas de negociação e pelo caravançará, o edifício de hospedagem das caravanas.

O historiador Ikhtiyor Kenjaev recorda que “Bukhara era uma das localizações importantes no centro da grande Rota da Seda. Desde tempos antigos, as caravanas e os grandes negociantes atravessavam a cidade”. E adianta: “Mantém-se vivo o diferente artesanato, por exemplo, os trabalhos de cerâmica”.

Um dos artesãos mais famosos da região é Abdullo Narzullaev: “A cerâmica é o negócio da família. O meu pai, o meu avô e o meu bisavô eram ceramistas. Sou a sexta geração”.

O mestre de cerâmica ainda usa as antigas técnicas e apenas materiais locais, como o barro.

A cerâmica é muito popular no Uzbequistão e é um dos ofícios mais antigos do país.

Segundo Abdullo Narzullaev, “há vários centros de cerâmica no Uzbequistão e cada um tem o seu próprio estilo, com diferentes cores, motivos e formas. As cores da área de Bukhara são o verde, o castanho e o amarelo”.

Para fabricar a cerâmica de barro vidrada são necessárias 24 etapas, no total.

Na região de Bukhara podemos encontrar mais de 60 formatos e cerca de cem motivos.

Mas a cidade é famosa também pelo precioso bordado de ouro.

Antigamente, este tipo de artesanato estava reservado aos emires e aos seus cortesãos. Hoje, o fio de ouro decora vestidos, “caftans”, sapatos e mesmo cortinas de teatro.

Dilnoza Tosheva mostra-nos o bordado numa túnica de casamento dos homens. Aos 30 anos, Tosheva aplica cuidadosamente o fio de ouro. Um desafio em forma de bordado: “Desde pequena que aprendo a bordar a ouro. Fascina-me, sobretudo, o brilho do ouro. Inspira-me”.

Na próxima edição de Uzbequistão “Life” seguimos rumo a sul. Vamos explorar a cidade de Termez, com mais de 2500 anos de história e um tesouro arqueológico único.