Última hora

Última hora

Combate à iliteracia de crianças surdas motiva um dos prémios WISE 2015

Um projeto no Qatar que incentiva ao estudo de áreas tecnológicas e outro, na Argentina, que combate a iliteracia entre crianças surdas. Conheça os últimos projetos distinguidos na cimeira WISE deste

Em leitura:

Combate à iliteracia de crianças surdas motiva um dos prémios WISE 2015

Tamanho do texto Aa Aa

Há dois temas que são sempre considerados prioritários na Cimeira Mundial da Inovação na Educação: o estudo das áreas tecnológicas e a educação de pessoas com deficiências. Os últimos dois projetos a receberem este ano os prémios WISE centram-se precisamente nestas questões.

Qatar: Como levar os jovens a aderir às áreas científicas e tecnológicas

Despertar o interesse dos alunos pelas chamadas áreas CTEM (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) – é a missão do projeto Al-Bairaq, que desafia os estudantes a passarem à prática em aulas organizadas para o efeito em várias escolas secundárias do Qatar. Um dos módulos do projeto consiste na descoberta dos materiais. Os alunos estudam possibilidades de aplicação e depois criam um produto próprio. O projeto foi lançado em 2007 no âmbito do programa estratégico destinado a reforçar a inovação e competitividade do Qatar.

Os professores do departamento de Engenharia de Materiais da Universidade do Qatar dão a oportunidade a estes estudantes de participarem em projetos de pesquisa. O projeto tem a duração de um ano letivo e, no final, os alunos são desafiados a fazer apresentações avaliadas por um júri de especialistas.

Argentina: Crianças surdas aprendem através de vídeolivros

A surdez de Melany nunca foi obstáculo para explorar tudo o que lhe desperta curiosidade. Como os livros… apesar de não saber ler. Mais de 90% das crianças surdas tem problemas de comunicação com pais e professores que não dominam recursos como a linguagem gestual. As consequências podem levar a situação extremas, como o isolamento social. Não foi o caso de Melany, que frequentou uma das poucas escolas na Argentina a adotar o ensino bilingue da linguagem gestual, uma vez que esta pode diferir consoante os países. Melany aprendeu a exprimir-se nas linguagens argentina e espanhola e a participar em vídeolivros, para trazer outros jovens surdos para o mundo da literatura.

O projeto dos vídeolivros foi lançado pela associação Canales. As estórias são contadas através da linguagem gestual e de uma narração, o que permite aproximar as crianças com e sem problemas auditivos. Um recurso pedagógico que pode ser igualmente utilizado em família, onde as barreiras comunicativas podem provocar um distanciamento emocional.