Última hora

Última hora

Alepo a ferro e fogo

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, a ajuda da Rússia permitiu às tropas fiéis a Bashar el-Assad conseguir em três dias aquilo não conseguiram em três anos e meio.

Em leitura:

Alepo a ferro e fogo

Tamanho do texto Aa Aa

A região de Alepo está a ser alvo da maior ofensiva do exército sírio e da Rússia desde que os russos entraram em cena, na guerra civil Síria.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), principal organização da oposição, só desde a última segunda-feira a aviação russa fez mais de 320 ataques na região. A Rússia insiste que estas ações se destinam a expulsar a Frente al-Nosra, filial síria da Al-Qaida.

As aldeias de Nubul e Zahraa, perto de Alepo, foram o centro dos mais recentes combates. Aqui, o exército sírio quebrou o cerco mantido pelos rebeldes. As imagens foram divulgadas pela televisão libanesa Al-Manar, ligada ao Hezbollah, aliado do governo sírio.

Ainda segundo o OSDH, a ajuda da Rússia permitiu às tropas fiéis a Bashar el-Assad conseguir em três dias aquilo não conseguiram em três anos e meio.

As ações da Rússia foram condenadas tanto pelos Estados Unidos como pela França. O chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, diz que esta ofensiva é “um torpedo contra as conversações de paz”.