Última hora

Em leitura:

Metade dos migrantes de Idomeni recusa centros de acolhimento

mundo

Metade dos migrantes de Idomeni recusa centros de acolhimento

Publicidade

Metade dos cerca de oito mil migrantes e refugiados que se encontravam em Idomeni partiu pelo próprio pé e ficou nos arredores da localidade fronteiriça grega. Muitos preferiram permanecer junto à Macedónia, para eventualmente poder seguir caminho rumo à Europa do Norte. Mas não foi a única razão.

“Aqui não é mau mas também não é bom – afirma esta síria de 26 anos. Acho que os novos campos de Tessalónica e de Atenas são muito maus, piores do que aqui. Agora fico aqui mas não sei quando vou partir.”

Entretanto, é possível que muitas das pessas agora deslocadas de Idomeni abandonem os novos centros de acolhimento. A ONU e várias ONG advertiram que estas instalações não têm as condições mínimas. O governo reconheceu que tem ainda muito trabalho pela frente. O acampamento de Idomeni demorou três dias a ser evacuado.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte